Ceclin
jun 09, 2011 0 Comentário


Professores da Rede Particular deflagram greve

A reunião entre o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Pernambuco (Sinepe) e o Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sinpro-PE) não resolveu o impasse entre as categorias, de modo que a greve dos professores da rede particular de ensino continua por tempo indeterminado.

De acordo com a assessoria de imprensa do Sinpro-PE, os professores entregaram novamente sua pauta de reinvidicações ao patronato, mas nenhuma contra-proposta foi apresentada pelo Sinepe.


Os professores reinvindicam aumento do piso salarial, melhores condições de trabalho, educação continuada e o cumprimento das bolsas de estudos para seus filhos, entre outros benefícios.Cerca de 600 mil alunos de 900 unidade de ensino da rede privada de todo o Estado estão sem aulas por conta da greve.

Ontem à noite, uma segunda rodada de negociação entre as duas parte fracassou. Os professores apresentaram as reivindicações e oficializaram a recusa à contraproposta dos patrões. Os donos de unidades de ensino se reúnem em assembleia às 18h de hoje. Amanhã, está marcada outra assembleia, às 9h, no Sinpro.

Quase 400 profissionais de Recife e Caruaru votaram no encontro. Estava prevista uma passeata pelo centro da cidade e outro ato amanhã, às 6h da manhã, na Avenida Visconde de Suassuna. Os professores querem piso salarial de R$ 10 por hora/aula (atualmente está entre R$4,43 e R$5,82), além da unificação.