• Ceclin
jul 03, 2019 0 Comentário


Procon-PE diz que Cesta Básica permanece mais barata em Vitória de Santo Antão

A cesta mais barata foi encontrada em Vitória de Santo Antão, por R$ 344,96.

cesta basicaO preço das cestas básica em Pernambuco diminuiu. Em pesquisa realizada pelo Procon-PE foi observada a redução do valor no município de Goiana, onde mês de maio os produtos que compõem a cesta poderia ser adquirido por R$ 397,58, e em junho por R$ 384,89, o que representa uma queda de 3,21%.

A fiscalização passou pelos municípios do Cabo de Santo Agostinho, Goiana, Vitória de Santo Antão, Caruaru e fechou num bloco da Região Metropolitana do Recife (RMR), com as cidades de Recife, Olinda, Camaragibe, Paulista e Jaboatão dos Guararapes.

Todas as cidades que foram pesquisadas os preços apresentaram uma redução no valor, exceto a cidade de Caruaru, onde a cesta aumentou o seu valor de R$ 351,14 para R$ 359,97.

Segundo a Gerente de Fiscalização do Procon/PE, Danyelle Sena, apesar da alta na cidade do Agreste, a cesta mais cara foi encontrada em Goiana e a pesquisa traz benefícios para os consumidores e comerciantes. “Ela ajuda o consumidor e também a concorrência para ter melhor preço, forçando a redução do preço. Comparando com o mês de maio só Caruaru aumentou, mas não superou a de Goiana, que ainda tem preços altos, onde pesquisamos isso nos supermercados”, contou.

A cesta mais barata foi encontrada em Vitória de Santo Antão, por R$ 344,96. Enquanto isso no mês de maio a cesta em Vitória era R$ 349,17. Nos demais municípios, a cesta pode ser encontrada por R$ R$ 349,79 no Cabo de Santo Agostinho e R$ 382,17 nas cidades da RMR.

A pesquisa é dividida em alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal. A maior disparidade de valores foi na higiene pessoal, chegando a uma diferença de até 318%, como no absorvente, onde o produto pode ser encontrado por R$ 4,39 e por R$ 1,05. Já na alimentação a batata inglesa é pode ser comprada de R$ 7,99 e R$ 2,99. Além da importância da cesta servir como parâmetro para os consumidores, Danyelle destacou que algumas cidades estão usando a pesquisa como preço base para venda. “Por recomendação do Tribunal de Contas do Estado algumas cidades estão passando a fornecer a pesquisa para ter um parâmetro do mercado, e isso é importante porque contribui para consumidor e quem vende”, apontou.

A análise dos preços é feita com 27 itens de maior participação na variação do valor médio da Cesta Básica, e toma como base a cesta para uma família composta por quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças.

Folha PE