Ceclin
fev 28, 2018 0 Comentário


Processo de aquisição de carteira de motorista é tema de audiência pública na Alepe

AUDIÊNCIA – Pela manhã, parlamentar coordenou discussão sobre o tema. Foto: Sabrina Nóbrega

AUDIÊNCIA – Pela manhã, parlamentar coordenou discussão sobre o tema. Foto: Sabrina Nóbrega

Uma audiência pública solicitada pela deputada Socorro Pimentel, do PSL, debateu nesta quarta-feira (28/02), os altos custos da carteira de habilitação em Pernambuco. O setor foi afetado pela crise econômica dos últimos anos, e o processo de formação de condutores ficou mais caro devido à exigência, em todo o país, do uso de simuladores. Mas para um grupo de donos de autoescolas, o preço da carteira de motorista poderia ser mais baixo se houvesse menos atravessadores entre os Detrans e os centros de formação de condutores.

De acordo com a advogada Tamires Nanes, que representa o grupo, é necessário transparência dos pagamentos realizados a empresas, como as que cuidam do monitoramento das aulas. “Existe um valor que ele é repassado a essas empresas que supostamente fazem o monitoramento e a gente não tem noção desses valores. Então, essa conta não fecha. Não há transparência no dinheiro que essas empresas recebem e o usuário final é que acaba pagando por isso. Tem empresas que estão nesse meio que estão sendo investigadas e a gente não pode aceitar isso.”

O diretor geral do Detran Pernambuco, Sebastião Marinho, afirmou que essas empresas, como Vesoft e Bluedata, não são contratadas do órgão de trânsito, e sim do sindicato das autoescolas. O presidente do Sindicato dos Proprietários dos Centros de Formação de Condutores de Pernambuco, Igor Valença, alega que as empresas foram escolhidas para prestar serviços de gestão, e que a escolha foi ratificada em assembleia da categoria. Mesmo assim, ele afirmou que a entidade vai atuar para reduzir o custo dos serviços. “O sindicato já reuniu, já notificou as empresas, já realizamos três reuniões com as empresas que prestam serviço para a gente, solicitamos que baixem os custos, solicitamos que prestem melhor serviço, que cumpram os contratos que não estavam sendo cumpridos e assim que isso tudo for finalizado, nós iremos marcar uma assembleia para passar para todos os CFCs do estado de Pernambuco.”

A deputada Socorro Pimentel se comprometeu a levar às autoridades as reivindicações das autoescolas. As principais são a redução das taxas e impostos e a regionalização dos custos, a fim de não penalizar os centros de formação de condutores do interior. “Os encaminhamentos que nós daremos com nossas proposições: para que haja uma diminuição nessa taxa, que haja uma regionalização. O ponto principal para a gente retirar daqui é que haja uma diminuição desse custo dessa carteira de habilitação, que todas essas empresas envolvidas sejam colocadas às claras.”

Participaram da audiência pública proprietários de autoescolas da Capital e do Interior do estado e representantes do poder público.