Ceclin
set 20, 2021 0 Comentário


Pressão contra a PEC-32 deve ser intensificada na semana de votação

Esta semana será decisiva para o serviço público brasileiro e para o Brasil. A mobilização dos servidores nas ruas e redes sociais pode enterrar, de uma vez por todas, a proposta de Reforma Administrativa do governo Bolsonaro, a PEC-32. A PEC, que tem por objetivo central promover o desmonte dos serviços públicos para beneficiar a iniciativa privada, deveria ter sido votada na quinta-feira (16.09). Mas foi adiada para a próxima terça-feira (21) por causa da pressão exercida pelos servidores em atos de rua, reuniões com deputados, vigílias e mobilização na internet.

A pressão foi tanta que alguns deputados que integram a Comissão Especial da Câmara que está analisando a Reforma mudaram seus votos. Parlamentares, que antes eram a favor da PEC, passaram a declarar que votariam contra a proposta. Desta forma, o governo não conseguiu reunir o número necessário de votos para que o parecer do relator, o deputado Arthur Maia (DEM), fosse aprovado na Comissão.

“A votação então foi adiada para que o governo pudesse reverter esses votos por meio de negociatas. E, em se tratando do histórico de negociações do governo Bolsonaro, a gente acredita que eles irão fazer de tudo para ganhar os votos que precisam. Por isso, teremos que investir fortemente nas mobilizações aqui em Brasília e nos demais estados”, comentou o diretor do Sindsep-PE e da CUT-PE, Fernando Lima.

Caso a PEC-32 seja aprovada, a política de promoção de uma melhor qualidade de vida para a população trabalhadora brasileira, garantida pelos serviços públicos, será deixada de lado. Em seu lugar, serão ofertados serviços privados. Ou seja, as pessoas que não puderem pagar por esses serviços ficarão completamente desassistidas. Em um País em que mais de 14 milhões de pessoas estão desempregadas, 50 milhões vivem em situação de pobreza e cerca de 85 milhões de pessoas sofrem alguma dificuldade para a aquisição de alimentos, o fim dos serviços públicos será uma catástrofe.

Mobilização

Nesta segunda-feira (20), à noite, e terça-feira (21), pela manhã, os servidores farão vigílias no aeroporto de Brasília para aguardar a chegada dos deputados de seus estados. Na terça à tarde, eles se concentrarão no Anexo 2 da Câmara Federal, onde a Comissão Especial está se reunindo. Também serão realizadas visitas aos gabinetes dos parlamentares e atos de rua em Brasília e nos estados.

A ideia é aumentar a pressão ao máximo. Vários outdoors contra a PEC foram instalados em todo o Brasil. Muitos deputados estão preocupados com a repercussão junto ao eleitorado. Alguns chegaram a insinuar que ‘robôs’ estariam sendo usados na campanha de pressão na internet. Mas o engajamento da categoria e o trabalho de esclarecimento junto à sociedade são os responsáveis por esse resultado.

Cancela a Reforma

Os servidores também devem participar da mobilização na internet por meio da campanha Cancela a Reforma. No site da Condsef/Fenadsef (aqui), os trabalhadores podem ter acesso ao material produzido para a campanha.

A campanha também está no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube. Procure por @cancelaareforma. Siga, curta e compartilhe os materiais e  ajude a defender os serviços públicos brasileiros. Para receber todas as informações da luta contra a Reforma Administrativa, o interessado também pode enviar uma mensagem para o número de telefone: (61) 98357-4114. Imediatamente o seu WhatsApp estará cadastrado e ele passará a receber diversas informações direto no celular.

Os servidores também podem acessar a Enquete da PEC 32 e votar na opção Discordo Totalmente. Para votar basta entrar no endereço eletrônico da Enquete (aqui).

Outra opção é o site Na Pressão (aqui). Por meio do  site, o servidor pode enviar mensagens para os deputados federais, solicitando que eles rejeitem a proposta. O passo a passo é muito simples. Ao acessar a campanha, o servidor pode mandar seu recado pelo WhatsApp, e-mail ou telefone. E a mensagem a ser enviada é: votou a favor da reforma, não voltará a ser eleito.

“É fundamental que todos participem desta luta e pressionem os parlamentares para que votem NÃO à Reforma Administrativa”, disse Fernando.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE