Ceclin
nov 05, 2013 0 Comentário


Prefeito eleito de Água Preta se mostra magoado com o governador

Folha de Pernambuco

Pedetista também reclama que não teve qualquer apoio do seu partido

No dia seguinte à sua eleição para prefeito de Água Preta, Armando Souto (PDT) deixou claro que não se conforma com a atitude do governador Eduardo Campos (PSB), no pleito suplementar realizado domingo passado, em favor do ex-prefeito Eduardo Coutinho (PSB). Ontem, havia uma especulação de que o pedetista teria pedido ao secretário estadual de Articulação Regional e Social, Aluísio Lessa (PSB), para viabilizar uma conversa com Campos, contudo ele mesmo tratou de negar.

“Eu não tenho que viabilizar nada, eu sou prefeito, ele é candidato a presidente da República, eu ganhei a eleição”, declarou. “Eu poderia estar até no palanque dele para presidente e a Prefeitura à disposição. Se quiser, Eduardo coloque os aliados para me procurar”, avisou.

O prefeito eleito também se mostrou magoado com o seu partido pela falta de apoio nas duas disputas municipais. “Não me ajudaram com nada, me prejudicaram na outra eleição – eu não assumi por culpa do partido – e agora, nesta (eleição), o partido não ajudou com um centavo e me deixou sozinho contra o Estado”, protestou Souto, aludindo ao que classificou como “estadualização”, quando uma comitiva do PSB participou do último comício de Eduardo Coutinho, quarta-feira passada.

Armando Souto explicou que sua relação com o presidente estadual do PDT, José Queiroz, já está reestabelecida, porém culpou pelo fato de não ser prefeito há mais tempo. “Foi por culpa dele (Queiroz) e culpa do partido que eu não pude assumir, mas ele me procurou, o partido me devolveu (o comando municipal) e eu passei uma esponja nisso”, afirmou.

Embora reclame dos correligionários, o pedetista disse que continuará na legenda. “Apesar de todos os partidos terem dono e eles resolvem como querem, eu tenho que ter um. De qualquer jeito, a gente fica à mercê”, explicou o Souto, recordando que apenas o secretário-geral do PDT e presidente da Juventude Socialista da legenda no Estado, Túlio Gadêlha, lhe deu apoio.

Após a convenção do PDT, que havia empossado a direção local e oficializado a postulação de Armando Souto à Prefeitura, José Queiroz destituiu a comissão provisória para apoiar a candidatura do ex-prefeito Eduardo Coutinho, na disputa em Água Preta. Souto recorreu, concorreu sub judice e venceu com uma diferença superior a 800 votos, mas não foi diplomado. Segundo ele, para garantiu o pleito suplementar, realizado domingo, o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, reuniu os membros da executiva e ratificou a sua candidatura. A vitória foi por 531 votos de vantagem.