Ceclin
jul 22, 2010 3 Comentários


Prefeita de Ferreiros é cassada

Celma Veloso ao lado de Eduardo e Ana em antiga cerimônia

Publicado em 22.07.2010

A prefeita do município de Ferreiros (Zona da Mata Norte pernambucana), Maria Celma Veloso da Silva (PSB), e o vice-prefeito, Gileno Campos Gouveia Filho (PTB), foram cassados ontem em primeira instância. A sentença, assinada pela juíza Marília Falcone, responsável pela 27ª Zona Eleitoral, aponta captação ilícita de sufrágio – compra de voto – na última eleição.

Assim como em outros casos semelhantes, os dois poderão recorrer da sentença ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no exercício do cargo. A representação que culminou na cassação da dupla foi feita pelo Ministério Público Eleitoral (MPE). Em 2008, a disputa pelo comando da prefeitura foi acirrada. Celma Veloso foi reeleita com 3.779 votos – 343 a mais do que o segundo colocado, Bruno Japhet (PSDB).
» Giza é condenada
Publicado em 22.07.2010

Ex-prefeita de Afogados da Ingazeira (Sertão do Estado) e candidata a deputada estadual, Giza Simões (PMDB) teve ontem seus direitos políticos suspensos por três anos, fruto de um processo em que é acusada de improbidade administrativa.
Ela também foi condenada a ressarcir ao erário o valor de R$ 142.472,24. Quem assinou a sentença foi o juiz José Carvalho do Aragão Neto, no exercício da 2ª Vara Cívil do município. Ela pode recorrer e reverter a decisão. Caso o faça, ficará com a candidatura sub judice.
Giza Simões é uma das apostas da chapinha do PMDB para conseguir eleger dois ou, numa projeção otimista, três membros para a Assembleia Legislativa. Além dela, há a deputada estadual Jacilda Urquisa, o vereador do Recife Gustavo Negromonte e o ex-presidente da OAB Jayme Asfora.
Zona da Mata // JUSTIÇA
Ex-prefeito de Água Preta terá que restituir R$14 mil ao município
Publicado em 22.07.2010,
Do JC Online Núcleo SJCC/Caruaru
O ex-prefeito de Água Preta, Paulo Humberto Barreto, terá que restituir cerca de R$ 14 mil. O Tribunal de Contas de Pernambuco recusou a prestação de contas do ano de 2007, quando ele exercia o cargo majoritário do município.
O TCE emitiu parecer prévio recomendando a Câmara de Vereadores do município a rejeição dessas contas. O valor, que inicialmente era de R$ 13.975,32, será corrigido monetariamente.
Segundo o relator do processo, auditor substituto Ruy Ricardo Harten, as irregularidades foram identificadas em pagamentos indevidos em obras de recuperação da iluminação pública do Estádio Municipal e na pavimentação de diversas ruas do distrito de Santa Terezinha.

Além disso, o ex-prefeito teria gasto com despesas pessoais em torno de 65,93%, o que ultrapassa o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal que é de 54%.
O TCE determinou ainda o envio de cópia do processo ao Ministério Público de Contas e Ministério Público Estadual.
(Jornal do Commercio).