• Ceclin
ago 20, 2018 0 Comentário


Povo pede mudança na feira de Bonança, constata Armando

feira livre de Bonança. Foto: Ricardo Labastier/ Divulgação

Armando caminhou na feira livre de Bonança. Foto: Ricardo Labastier/ Divulgação

No ultimo sábado (18/8), a feira livre de Bonança, distrito de Moreno, na Região Metropolitana do Recife, o que mais se ouvia eram pessoas querendo contar ao candidato ao governo do Estado pela coligação Pernambuco Vai Mudar, senador Armando Monteiro (PTB), os problemas do seu cotidiano, cada vez mais crescentes por conta do abandono pelo qual o Estado passa nos últimos três anos e sete meses.

E Armando ouviu. Do feirante José Miguel dos Santos, 52 anos, por exemplo, ouviu que Pernambuco precisa mudar. “Está tudo ruim. Não sei o que é pior: a saúde, o desemprego ou a violência”, disse ele ao candidato, que caminhou pela feira ao lado do prefeito Vavá Rufino (PTB), de seus companheiros de chapa, o vice Fred Ferreira (PSC) e os candidatos ao Senado Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM), além do candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa Miguel Ricardo (PTB).

“As pessoas precisam ser ouvidas. Esse governo não ouve o seu povo. E, para errar menos, a gente precisa ouvir mais”, afirmou Armando, logo após conversar com o artista Carlos Brasil, que reclamou da falta de apoio do governo do Estado à cultura popular. “Artistas como Lia de Itamaracá e Ivanildo Vila Nova não podem ficar anos para receber seus merecidos cachês”, disse Brasil.

E Armando também ouviu muitas palavras de incentivo. Como as do vendedor de roupas José Pereira da Silva, 69 anos: “O senhor é o segundo Miguel Arraes. Sinto no senhor dignidade, firmeza e segurança. Tenho certeza que o senhor vai ganhar”.