Ceclin
abr 29, 2009 40 Comentários


Pouca produção na Casa Diogo de Braga

Na 13ª Sessão Plenária do mandato 2009/2012, iniciou-se as 20:11 hs do dia 28.04.2009, presidida pelo Vereador Manoel de Holanda.

Presentes: Vereadores Sylvio Gouveia (PSB), Sandro da Banca (PR), Everaldo Arruda (PSDB), Manoel de Holanda (PMDB), Frazão (PR), Dr. Saulo (PSB), Novo da Banca (PSB), André Saulo (PMN), Geraldo Enfermeiro (PSB) e José Aglailson (PSB).

Ausente: Irmão Duda (PSDC).

A ausência dos projetos de ordem do Executivo, parece estar esvaziando a galeria dos apaixonados pelo vereador Jose Aglailson, isto retorna o ambiente da Sala Severino Cândido Carneiro, mais leve e ordeiro.

As 20:13 hs, o 1º Secretário Everaldo Arruda é convocado pelo Presidente para fazer a chamada e a leitura da ata anterior.

As 20:20 hs, iniciou-se o pequeno expediente, com leitura dos extratos de envio de recursos para o Fundo Municipal de Saúde, por parte do Ministério da Saúde, logo após iniciou-se a leitura dos requerimentos, desta vez em número de apenas três, mais a apresentação do Projeto de Lei de proposição do Presidente da Câmara, dando ao Centro de Atendimento a Criança, o nome de Policlínica Dr. Fernando Figueira, patrono do IMIP e um dos mais conceituados médicos do Brasil.

Entre os requerimentos, um foi dirigido pelo presidente ao 21º Batalhão da PM, para disponibilização de uma viatura para o bairro de Jardim Ipiranga, e os outros dois, de proposição do Vereador Novo da Banca, pedindo ao executivo a inserção de guardas municipais nas principais praças do centro da cidade, buscando melhorar a segurança, abalada nos últimos tempos pela presença de assaltantes e drogados.

As 20:25 hs, iniciou-se o grande expediente, subindo a tribuna o vereador Geraldo Enfermeiro, para mais uma vez, sob os olhos e consentimento da presidência, manter a retórica de ataques à atual administração, que durou exatos 22 minutos (o regime permite no máximo 15 minutos). Iniciou tentando justificar suas críticas ao atual governo. Alegou que em visita as comunidades rurais, são inúmeras as reclamações da queda do valor do Bolsa Família. Que o governo atual abandonou os acessos da cidade à Zona Rural e que constasse do rol de requerimentos, seu pedido formal para solicitação à Secretaria de Agricultura do Estado e ao Gabinete do Governador, medidas em prol da recuperação da malha viária da principais comunidades.
Falou de sua visita a Escola Rural Padre Félix Barreto, alegando que os alunos ali existentes estão sendo alimentados diariamente, de arroz com ovo. Requereu verbalmente, um voto de aplauso ao Sr. Inaldo Sampaio, que acaba de criar o seu Blog, e findou fazendo críticas a presença do Prefeito Elias Lira (DEM), acompanhado do Dep. Henrique Queiroz (PR), na localidade de Pacas, anunciando a vinda de um Presídio estadual, como forma de desenvolvimento para nossa cidade.

Logo após foi a vez do Vereador José Aglailson, que ao notar a minha presença na galeria, passou a me intitular de “Jornalista da Corte”, e que eu não precisaria anotar os assuntos abordados por ele, pois ele me daria tudo por escrito.
Mais uma volta à retórica, com duração de 39 minutos.

(até quando o Sr. Presidente vai continuar permitindo esta bagunça por parte da chamada oposição, principalmente por parte dos vereadores Geraldo e Aglailson?).
Falou de mais de 500 obras executadas pelo seu ex-governo (que não vemos). Que ele é o responsável pela vinda da Bolsa Família e Vale Gás (mas ele não se chama Fernando Henrique). Que mais de 30.000 mil crianças são assistidas pelo programa (com total desentendimento dos números de nossa cidade). Que as mães estão indo ao Banco do Brasil e não estão encontrando seus benefícios Bolsa Família (não seria Caixa Econômica?). Que foi a Brasília e acertou com Lula a vinda de uma equipe para sanar este problema. Que o Município abandonou um de seus melhores projetos, a Casa da Criança (esquecendo de dizer que a mesma nunca foi de gestão do Município, mas de uma Associação Esportiva, com comodato irregular de 15 anos). Falou da Casa dos Deficientes, antiga piscina do Leão. Do Hospital das Crianças, abandonado pelo atual governo (mas que o mesmo saiu sem definir estrutura funcional). Que tem muitos espiões na Prefeitura, seguindo os passos do atual governo. Que a única vez que usou o dinheiro da Previdência dos Servidores, foi R$ 1.200.000,00 autorizados pela Câmara. Que nenhum prefeito pode avançar no dinheiro do INSS. Que é sofrido ver os seus filhos e netos lerem e ouvirem notícias de rombos praticados por ele, em matéria paga pelo Secretário de Turismo da cidade. Que ao assumir em 2001, assumiu também dívidas deixadas por Breckenfeld e Elias Lira. Que o Município gastou milhões para pintar os ônibus universitários (parece ele não saber distinguir entre pintura e adesivação). Que foi vítima da campanha eleitoral mais suja de nosso País. Lembrou dos gastos de R$ 1.000.000,00 de mata ratos do governo anterior ao dele. Que as estimativas apontam que o Ônibus Universitário foi responsável pela formação de mais de 4.000 profissionais superiores. Por fim, em sinal de total desinformação, que o Secretário de Gabinete, Ozias Valentim (DEM), seria o responsável pela debandada do Banco Itaú (que está em fase de conclusão de suas instalações na Praça Duque de Caxias).

Subiu também a tribuna, o vereador Novo da Banca, inicialmente com pedido verbal ao Poder Executivo, para calçar a Rua Irene Albuquerque Chaves, no loteamento São Severino, como também, um voto de aplauso para a Direção do Colégio Amélia Coelho, pelo trabalho realizado no Programa Travessia, do governo estadual.

As 21.35 hs, foi colocada em discussão o projeto legislativo, iniciando com a ida do vereador Sylvio Gouveia, passando a defender que a homenagem deveria ser feita a um médico vitoriense, dentre tantos nomes existentes, apesar de todo respeito que é merecedor o Sr. Fernando Figueira.

Depois foi a vez de Geraldo Enfermeiro, que apoiou o raciocínio do Sylvio, corroborado pela sua fidelidade ao partido.

Também o Jose Aglailson, apresentando proposta que todas as unidades médicas fossem a partir de agora, dadas os nomes daqueles que muito se dedicaram a causa em nossa cidade, mais que aprovava o projeto, pelo grande respeito ao nome em pauta.

Mano Holanda também subiu a tribuna, para defender o seu posicionamento da apresentação do projeto, seguido de André Saulo, que fez suas alegações sobre a aprovação.

Por fim, mais uma vez, subiu a tribuna Geraldo Enfermeiro, para retrucar as justificativas do apresentador do projeto, e se contradizer em sua fidelidade ao partido, já que o líder declarou sou voto a favor, não seguindo assim a liderança.

Tivemos um debate de baixa relevância para os destinos de nossa cidade, com duração de 46 minutos.

Assim, aprovados os requerimentos em bloco, sem defesa da situação, sobre o requerimento do vereador Geraldo Enfermeiro, da exposição ao ridículo da Prefeitura e da própria Câmara, ao solicitar providências ao governo estadual, de matéria exlusiva do Executivo municipal, e aprovação do projeto em discussão, encerrou-se a sessão as 22:21 hs, a um custo total de R$ 1.096.000,00 nos quatro meses de mandato decorrentes, com a próxima Sessão marcada para o dia 5 de maio, as 20:00 hs.

por Elias Martins,
Colunista do Blog.