Ceclin
out 27, 2011 0 Comentário


Posse prestigiada de Ana Arraes no TCU

Folha de Pernambuco

Destacando que chegou ao Tribunal de Contas da União (TCU) “para fortalecer a sua sólida tradição de combate às iniquidades de todos os quilates”, Ana Lúcia Arraes de Alencar passou a ser, oficialmente, nova ministra do órgão. A cerimônia, realizada no plenário do edifício-sede do TCU, em Brasília, foi prestigiada pela presidente Dilma Rousseff, além de vários governadores, senadores, deputados, prefeitos e familiares da nova ministra.

O governador Eduardo Campos (PSB), filho da ministra, ficou sentado na mesa de honra durante a cerimônia, ao lado de Dilma, do presidente do Senado, José Sarney (PMDB); do presidente da Câmara, Marco Maia (PT); e do presidente do TCU, ministro Benjamin Zymler, entre outros. No início da solenidade, Ana Arraes – que já havia sido empossada em ato administrativo no último dia 20 – foi recepcionada pelos também ministros José Múcio Monteiro e Valmir Campelo.

O responsável pelo discurso de boas vindas em nome do plenário foi o ministro Walton Alencar, que afirmou que “servir ao País parece ser um desafio e vocação da família Arraes”, lembrando parte da trajetória do pai da nova integrante do TCU, Miguel Arraes, que foi governador de Pernambuco por três vezes e faleceu em 2005.

Ao discursar, Ana Arraes disse que a posse a enche de responsabilidades, uma vez que deriva, em linha direta do mandato popular ao ser eleita deputada federal por duas vezes – sendo a mais votada no Estado no último pleito, com quase 387 mil votos. Ela afirmou que a coragem do seu pai, na luta contra o regime militar, é uma marca de Pernambuco e serviu para manter sua moral ereta e moldar o caráter de seus dois filhos – o governador e o advogado e escritor membro da Academia Pernambucana de Letras, Antonio Campos. “A ambos, meu reconhecimento e gratidão, pois são meus pilares”, afirmou a nova ministra.

A nova ministra assumiu o posto anunciando que tem “compromisso com a decência e a moral” e será “implacável e zelosa com o dinheiro da Nação”. Mas defendeu a adoção de um “controle inteligente”, lembrando sua pregação em favor da tese de que “o controle deve servir a aperfeiçoar a gestão dos governos e não a paralisá-la, quando não, inviabilizando-a, pois é fugaz o tempo de quem governa”.

A fala de Ana Arraes foi ouvida com atenção pela presidente Dilma Rousseff. Neste momento, ela arrancou aplausos da plateia que lotava o plenário do TCU. A nova ministra foi eleita em votação no dia 21 de setembro, na Câmara dos Deputados, com 222 dos 493 votos. No Senado, foram 49 a seu favor.

LULA

Uma ausência sentida foi a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que foi uma figura importante na articulação da eleição de Ana Arraes junto a Eduardo Campos. O petista, no entanto, foi homenageado no discurso de Ana Arraes. “Filho do povo, que com seu governo deu demonstrações de talento político e de uma obra administrativa que mudou o Brasil e sua imagem internacional”, afirmou.