Ceclin
nov 28, 2022 0 Comentário


Porto do Recife realizou operação inédita para Grupo JB Vitória

Vinte e dois caminhões farão viagens entre Recife e Vitória de Santo Antão para trazer o álcool da usina do Grupo JB até o Porto do Recife.
 
por Patricia Raposo

O Porto do Recife realizou na segunda-feira (28.11) uma operação inédita e que envolve o Grupo JB: o embarque de 4 mil toneladas de álcool etílico. O navio-tanque Vari Trader atraca às 18h30, no cais 5 do Porto do Recife, para receber o produto que será exportado para Gana.

“É uma operação spot, uma experiência que vai analisar a viabilidade do transporte pelo terminal da capital pernambucana”, Tito Moraes, presidente do Porto do Recife. Ele acrescenta que a operação tem relação com uma nova frente para atrair novos negócios ao atracadouro.

Vinte e dois caminhões farão viagens entre Recife e Vitória de Santo Antão para trazer o álcool da usina do Grupo JB, que será embarcado diretamente das carretas para os tanques do navio, através de tubulações. O navio será abastecido por oito caminhões simultaneamente.

No pátio dois do Porto do Recife foi montado um pequeno laboratório para garantir a qualidade do produto, analisando na hora a pureza do álcool que irá embarcar, e uma empresa foi contratada para prevenir acidentes ambientais. Serão dois dias de operação. O Vari Trader deve desatracar na sexta (02.12).

“No Porto do Recife podemos receber muito além das nossas cargas já consolidadas. Temos estrutura, uma dragagem recente, uma localização estratégica e uma equipe com expertise para avaliar a viabilidade e prover as melhores estratégias para o sucesso de qualquer operação”, reforçou o Diretor Comercial e de Operações do ancoradouro, Matheus Asfora.

A escolha do Porto do Recife
“A escolha do Porto do Recife tem relação com sua localização geográfica, a 60 km de distância da usina, além da escassez de terminais para movimentar um produto tão nobre como nosso álcool neutro”, disse Carolina Beltrão, gerente executiva do Grupo JB. Ela acrescentou que a empresa usa a expertise de fazer esse tipo de operação no Espírito Santo, com os caminhões carregando diretamente para o navio, minimizando assim qualquer tipo de contaminação. “A disponibilidade do Porto do Recife de fazer operações diferentes foi perfeita”.

A OminiLog Consultoria e Serviços Logísticos intermediou a transação. “Conseguimos facilitar muitos processos para que a operação flua com maior eficiência e rapidez”, reforça Randal Inô, CEO da OminiLog.