Ceclin
fev 16, 2009 12 Comentários


Porque o ITAÚ não vem mais?

Li em uma coluna de um jornal on-line local, uma noticia sobre um possível desinteresse do atual prefeito Elias Lira em receber os Diretores do Banco Itaú. Que o banco cancelou o contrato de aluguel da antiga loja Eletromóveis Campos, e que por enquanto não mais se re-instalará em nosso Município.
Com essa noticia, alguns leitores de repente, podem tentar ligar o fato da não re-instalação a um possível descaso do atual prefeito.
Reflitamos:

Há muito se comenta nos bastidores da cidade, que a volta do ITAÚ está ligada a instalação da fábrica da SADIA, por se tratar de uma cliente Coorporate, com um potencial estúpido de transações bancárias, somado ao fato de o banco já conhecer o potencial de nossa cidade;
Comenta-se que no mundo inteiro, as instituições financeiras estão muito cautelosas com novos investimentos, mais ainda o ITAÚ, após sua fusão com o UNIBANCO;
Mesmo a SADIA sendo cliente Coorporate do ITAÚ, a continuidade da obra se deve à um empréstimo de R$ 50 milhões de reais liberado pelo Banco do Nordeste no ultimo dia 15 de janeiro;
A falta de pedido de demanda energética pela SADIA à CELPE, nos leva a crer que a fábrica não entrará mais em atividade em 2009;
Comenta-se que muitos profissionais contratados pela SADIA, sacados de empresas locais, já teriam sido demitidos, diante do novo cronograma de inicio de atividades da fábrica;
A abertura de uma agência bancária em qualquer município brasileiro, jamais será rechaçada por qualquer prefeito, até porque, tudo começa com uma imprecindível Carta de Anuência do Banco Central do Brasil, e que ao firmar o contrato de aluguel para instalação da nova agência, a referida carta já está em seu poder, onde o banco pode manter como reserva de contingência para abertura ainda em nossa cidade ou em outra cidade de sua preferência.

Nos deparamos possivelmente com uma possível ação estratégica da direção do banco, diante do novo cronograma do inicio das atividades da SADIA, sem contar que nenhum banco empresta 50 milhões de reais sem pedir um retorno compatível.

Aí eu pergunto. O que tem haver a Prefeitura Municipal da Vitória com o fato?

por Elias Martins,
Colunista do Blog.