• Ceclin
abr 02, 2018 0 Comentário


População sofre com desmonte do Estado, alerta SINDSEP-PE

Desemprego_1_1522065881

O desmonte do Estado patrocinado pelo governo golpista de Michel Temer (MDB) está repercutindo negativamente na sociedade, sobretudo para a população de baixa renda que necessita dos serviços públicos.

A Emenda Constitucional (EC) nº 95 – aprovada no segundo semestre de 2016 e congela investimentos públicos por 20 anos – engessou de vez o serviço prestado a população, que já vindo sendo sucateado ao longo dos anos, mas que agora piorou ainda mais. E esse cenário já pode ser visto a olho nu. Um exemplo claro disso foi à volta da febre amarela, uma doença que já havia sido erradicada no Brasil e voltou a fazer vitima não só em áreas rurais, mas em grandes cidades como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e até no Recife.

De julho de 2017 ao final de fevereiro deste ano, foram confirmados 723 casos da doença, sendo 237 chegando a óbito. “Isso é reflexo da falta de compromisso do governo golpista com a população, da falta de investimentos no serviço público e do repasse desses serviços para iniciativa privada, que busca o lucro”, destaca o coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos Oliveira. Para a economista e assessora técnica do Dieese na Subsessão da Condsef/Fernadsef, Alessandra Cadamuro, os reflexos da EC 95 tende a piorar quando somados a outras ações que vêm sendo implantadas pelo governo golpista.

“Se está ruim com a EC 95, a situação do serviço público pode piorar com a aprovação da reforma da Previdência e com a aplicação da Lei da Terceirização e da reforma trabalhista”, ressalta a economista. Na opinião do professor da UFBA, Sergio Gabrielli, a diminuição do papel do Estado é um reflexo também da ausência de mobilização social. Para ele, os sindicatos sozinhos não são suficientes para barrar o retrocesso. É preciso uma mobilização maior da sociedade, nas mais diversas frentes, já que a luta está fragmentada.

“É preciso aprofundar os mecanismos de participação popular na discussão de políticas públicas e alterar as relações de poder a partir de uma nova constituinte”, defende.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE