Ceclin
mar 28, 2017 0 Comentário


Polícia investiga sequestro de funcionária do Banco do Nordeste de Vitória

Com bombas amarradas ao corpo, funcionária foi levada à agência para que os criminosos roubassem o numerário do local, diz sindicato (Foto: Sindicato dos Bancários de Pernambuco/Divulgação)

Com bombas amarradas ao corpo, funcionária foi levada à agência para que os criminosos roubassem o numerário do local, diz sindicato (Foto: Sindicato dos Bancários de Pernambuco/Divulgação)

Segundo o Sindicato dos Bancários, vítima foi confundida com tesoureira da agência localizada em Vitória de Santo Antão e parentes também foram sequestrados. Todos foram liberados em Pombos nesta terça (28).

Por G1 PE

A Polícia Civil iniciou, nesta terça-feira (28/03), as investigações do caso do sequestro de uma funcionária de uma agência do Banco do Nordeste (BNB) localizada em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul do Estado. De acordo com o Sindicato dos Bancários de Pernambuco, a mulher foi confundida com a tesoureira da agência em que trabalha, e foi feita refém junto com o marido, o filho e a mãe desde as 19h da segunda (27). Também segundo a entidade, a família teria sido liberada às 9h desta terça (28).

A instituição sindical também informou que os sequestradores amarraram bombas ao corpo da mulher às 7h desta terça (28) e, em seguida, levaram a vítima à agência. Depois de ela entrar e explicar a situação ao gerente, foi entregue o numerário da agência aos sequestradores, segundo o sindicato. A quantia levada não foi informada pela Polícia. Após o roubo, a funcionária e a família foram deixadas no Município de Pombos, cidade vizinha, por volta das 9h.

Neste ano, o Sindicato dos Bancários de Pernambuco contabiliza 38 investidas violentas contra agências bancárias em 22 municípios do Estado, sendo este o primeiro sequestro contra um funcionário de banco e parentes registrado em 2017. Procurada pelo G1, a Polícia Civil alegou que está investigando o caso, mas não informou se as vítimas já prestaram depoimento. A reportagem também procurou a assessoria de imprensa do Banco do Nordeste, mas não obteve retorno às ligações.

A gerente levou o dinheiro até o local combinado com os bandidos e depois recebeu ordens de ir buscar a família em Pombos. “Eles mesmos tiraram os explosivos dela, então não temos como saber se se tratava de artefatos verdadeiros. Foi um crime psicológico”. Procurado, o Banco do Nordeste informou que “está prestando toda a assistência aos funcionários da unidade e que já acionou os órgãos competentes para que as medidas cabíveis sejam tomadas”.