Ceclin
out 09, 2020 0 Comentário


Polícia de Pombos prende acusado de matar Hailson. Oposição tenta politizar o crime

Protesto pelo assassinato de Hailton começou pacífico. Fotos: Divulgação

Por Lissandro Nascimento

O acusado de ter cometido o homicídio que vitimou Hailson Santos da Silva, conhecido por Galego da Vila, ocorrido no último dia 04 de outubro, no Município de Pombos, foi preso pela equipe da Polícia Civil na quinta-feira (08).

A vítima, na noite do crime, encontrava-se em um evento no Centro da cidade, quando foi urinar em local próximo a um imóvel. O vigilante deste prédio, após repreender Galego, efetuou dois disparos de arma de fogo. Hailson foi socorrido por populares até o Hospital municipal, porém veio a óbito.

Hailson foi covardemente morto por motivo fútil

Segundo a Delegada Carolina Martins, a prisão preventiva de José Firmino da Silva, conhecido como “Zé Soldado”, de 75 anos, que é um policial militar reformado, cumpriu determinação da Comarca de Pombos. Ele reside na cidade de Chã Grande e foi recolhido ao Centro de Reeducação da Polícia Militar – CREED-PE, onde se encontra a disposição da Justiça.

O crime causou indignação aos moradores da cidade, os quais cobraram justiça através de protestos no Centro e na rodovia BR-232. Um deles, na última segunda-feira, ocorreu excessos e teve que ter uma operação da Polícia Militar (PM) para dispersar e assegurar a ordem pública no Município.

Diante da repercussão, a Polícia Civil de Pombos tem construído o inquérito investigativo seguindo os trâmites legais, apurando provas e apontando o(s) culpado(s). No entanto, a oposição que disputa a Prefeitura de Pombos nas eleições 2020, tem procurado disseminar por fakenews na internet a falsa ligação desse crime à atual gestão, aproveitando-se da cobrança dos cidadãos por mais banheiros públicos no Centro Comercial.

O clima de “trama política” tem causado julgamentos precipitados e tentado esconder que esse assassinato cometido de modo banal e fútil tem nome e lugar. Inclusive, a própria Promotoria Pública de Pombos recentemente já havia se posicionado diante do hábito popular de urinar em vias públicas.

A insistência pela condução do caso perante a Lei tem sido inclusive cobrada pela família de Hailson Silva. Os parentes da vítima têm condenado as manifestações violentas na cidade e pedem que as pessoas só participem de atos convocados pela família, evitando assim, a utilização do crime por parte de oportunistas políticos.

Em um vídeo publicado nas redes sociais que circula na cidade de Pombos, a mãe de Hailson, Josefa Carmo Santos da Silva (Nena), declarou que não compactua com nenhum ato de vandalismo, dilapidação do patrimônio público, arruaças e agressões. “Queremos apenas que a Justiça seja feita, que os mandantes e o autor do crime sejam serenamente punidos, para que não aconteça com mais nenhum inocente o que aconteceu com o meu Galego”, afirmou ela.

A mãe de Hailson disse ainda esperar a compreensão e respeito de todos pelo Luto, salientando que sua família não autoriza o uso da imagem do filho para marcação de protesto com intuito de politicagem e vandalismo.

“Não é dessa forma que a Justiça será feita. Peço que qualquer protesto que venha a acontecer sem a divulgação preliminar da família seja desconsiderado”, falou Nena. Os parentes vão promover uma caminhada pelas ruas do Centro em direção a Igreja Católica para prestigiar a Missa de 7º dia.