Ceclin
dez 03, 2019 0 Comentário


Polícia Civil realiza operação na Mata Norte

Durante a operação, cinco mandados de prisão e quatro de busca e apreensão domiciliar. Foto: PCPE/Divulgação

Durante a operação, cinco mandados de prisão e quatro de busca e apreensão domiciliar. Foto: PCPE/Divulgação

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta terça-feira (03/12) a 98ª Operação de Repressão Qualificada de 2019. Denominada “Repressão”, a ação, ligada à Diretoria Integrada Especializada (Diresp), conta com a atuação de 40 policiais, entre delegados, agentes e escrivães.

As investigações que deram início à “Repressão” começaram em março deste ano buscando desarticular uma organização criminosa responsável pelos crimes de adulteração de sinais identificadores de veículos, falsificação de documentos, receptação de veículos e associação criminosa.

De acordo com as informações levantadas pelo MPPE e Fazenda, o grupo atua de forma coordenada para sonegar impostos estaduais e promover receptação de caminhões de combustível roubados. Também há suspeitas de que os envolvidos fazem a “encomenda” dos roubos de cargas, adulteração do combustível, lavagem de dinheiro e uso de laranjas para encobrir os nomes dos proprietários.

Mandados

Durante a operação, a Polícia cumpriu cinco mandados de prisão e quatro de busca e apreensão domiciliar, expedidos pela Vara Criminal de Carpina, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Os mandados foram cumpridos nas cidades do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Paulista e Glória do Goitá. Segundo o delegado Newson Motta, haviam seis mandados de prisão, mas um dos alvos faleceu na última semana e, por isso, só foram cumpridos cinco. Ele ainda explicou o modus operandi do grupo criminoso.

“Nós atuamos desarticulando esta quadrilha. No nosso entendimento, eram eles que fomentavam os crimes de furto e roubo e recebiam esses veículos para, a partir de então, adulterar os sinais característicos dos veículos e em seguida falsificavam documentações e colocavam no mercado para vender a pessoas de boa fé”, afirmou.