Ceclin
set 23, 2011 0 Comentário


Polícia Civil intensifica investigações quanto as duas mulheres mortas em Vitória

Duas mulheres foram assassinadas em Vitória de Santo Antão, na noite da quarta-feira e madrugada da quinta. As situações foram distintas, mas o que chama a atenção da Polícia Civil, que já iniciou as investigações, é que os suspeitos dos dois crimes já foram identificados. No primeiro caso, Solange Pereira da Silva (foto), 35 anos, foi morta a facadas dentro da própria residência, na comunidade do Iraque II. Após o crime, o suspeito arrastou a vítima para fora do imóvel e a deixou na rua. No outro caso, Sônia Ferreira da Silva, 31, foi morta a pauladas pela própria irmã, Eliane Ferreira da Silva. Sônia ainda foi levada para o Hospital da Restauração (HR), mas não resistiu aos ferimentos.

Solange morava na 5ª travessa da Quadra D, na comunidade do Iraque II, com uma neta de 3 anos e um neto de 4. O crime foi praticado na frente das crianças. “A gente pensou que ele tinha atacado as crianças tam­­­bém, porque elas gritavam muito. Quando fomos até lá os dois estavam paralisados”, disse um vizinho da vítima, que teve a identidade preservada. O núcleo de Crimes Violentos Letais Inten­cionais (CVLI) da delegacia do mu­­­nicípio deu início às investigações e, ontem pela manhã, já estava em diligências atrás do suspeito.

Segundo informações de testemunhas, uma vizinha de Solange sofreu um furto, acusando a vítima pelo delito. “A dona da casa furtada acusou a vítima. Depois, um sobrinho da mulher foi até o local e passou a fazer ameaças. Ele passou a ser o principal suspeito pelo crime”, contou o delegado Halisson Pontes. A vizinha e o sobrinho não foram localizados pela polícia para prestarem esclarecimentos.

No outro caso, uma discussão familiar levou à morte de Sônia. Ela foi atingida por vários golpes dados com um pedaço de madeira na cabeça. Ela ainda chegou a dar entrada no Hospital da Restauração, mas não resistiu à tamanha violência e faleceu. A irmã da vítima é apontada pela polícia como a autora do homicídio. “Também estamos em diligências atrás da dela”, acrescentou o delegado. Até o fechamento desta edição, nenhum dos suspeitos dos homicídios havia sido preso.

com informações da Folha de Pernambuco.