Ceclin
jul 25, 2019 0 Comentário


Polícia Civil aponta segundo envolvido na morte do professor em Pombos

João Paulo da Silva Santos, de 19 anos

Na manhã desta quinta-feira (25/7), Policiais Civis da 65ª Circunscrição da Delegacia de Pombos cumpriram Mandado de Prisão Preventiva expedido pela Comarca do Município envolvendo João Paulo da Silva Santos, de 19 anos, investigado pela prática de latrocínio (roubo seguido de morte) cometido contra o Professor Sandro Cipriano Pereira, de 35 anos, no último dia 27 de junho, na cidade de Pombos, no Agreste.

Esquerdinha confessou o crime

Esquerdinha confessou o crime

Durante interrogatório, João Paulo confessou ter se encontrado com Anderson Antônio da Silva, autor confesso do bárbaro crime preso no último dia 09 de julho, logo após este ter assassinado o professor e ativista da causa LGBT, quando ambos levaram o corpo para ser desovado na área rural da cidade e posteriormente, efetivaram a subtração de bens da casa da vítima.

As investigações do caso que estão sob responsabilidade da Delegada Carolina Martins, apontam que o crime foi motivado por questões de cunho patrimonial, tendo em vista que na ocasião foram subtraídos diversos pertences da vítima, tais como televisão, aparelho de som, cartões bancários, entre outros.

João Paulo foi recolhido ao Presídio da Vitória de Santo Antão, aguardando posição judicial juntamente com Anderson Antonio que foi indiciado por latrocínio e ocultação de cadáver, podendo ficar preso por até 20 anos.

ENTENDA O CRIME

O corpo de Sandro só foi encontrado no dia 29. Dois homens teriam sido vistos pelos vizinhos saindo da sua residência com o veículo Voyage prata, placa PDS 6578, pertencente à vítima. Dentro de casa, vizinhos teriam encontrado manchas de sangue e perceberam a falta de diversos pertences da vítima. Sandro era diretor do Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), em Glória do Goitá, uma organização da sociedade civil que forma jovens, educadores e produtores familiares para atuarem em áreas com a social, ambiental e política. Pedagogo, ele atuou como representante do movimento LGBT, era coordenador estadual e membro do conselho diretor nacional da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong).

LEIA TAMBÉM:

Entidades questionam inquérito policial sobre latrocínio do professor Sandro em Pombos 

– Acusado de matar professor e ativista em Pombos é preso