Ceclin
maio 13, 2010 6 Comentários


Poesia foi o tema central do Mesa Redonda

O Programa A VOZ DA VITÓRIA pela Rádio Tabocas FM (98,5) da sexta-feira (07), em sua Mesa Redonda que teve como tema “A Poesia como elemento educacional”, convidou a Professora Marilene da Paz, especialista em língua portuguesa, efetiva da rede municipal de ensino, a qual leciona no Grupo Escolar Prefeito Manoel de Holanda (Bela Vista – Vitória). Ela é Coordenadora do Projeto “Conexão Poética” e também coordena em Vitória de Santo Antão o Projeto Nacional Olimpíadas de Língua Portuguesa. Para saber tudo a respeito a produção abriu esta pauta.

O Programa também teve a participação de Marcone Ferreira – ex aluno do Manoel de Holanda, universitário da UFPE no curso de Letras; bem como das estudantes Lavínia Oliveira, Ariane Gomes, Jacilanêa Silva, Gleiciellem Carneiro, Ana Beatriz, estudantes do Grupo Escolar Municipal Prefeito Manoel de Holanda, além de Marília Susy do Externato Santa Joana Darck, que participam desse Projeto e vieram abrilhantar o Programa recitando poesias.

Após as apresentações a pedido do apresentador Lissandro Nascimento, a aluna Ana Beatriz, 09 anos, abriu o debate recitando a poesia “A porta” de Vinicius de Moraes. Em seguida Lissandro perguntou a professora como surgiu o Projeto Conexão poética.

Segundo a professora, o Projeto Conexão Poética surgiu a partir de um recital feito no Grupo Escolar Municipal Prefeito Manoel de Holanda em 2006, com o objetivo de incentivar os alunos a leitura de poesia, de maneira que haja a interpretação do poema selecionado para ser recitado, influenciando em uma melhor dicção, na superação da timidez e na aprendizagem conquistada através da leitura dos textos.

“O fato de ser professora faz com que haja um maior número de alunos que querem participar, principalmente da escola municipal onde leciono, mas também conto com alunos da rede estadual e particular, e principalmente com minha família”, ressaltou a professora.

Ao ser indagada onde eram feitas as apresentações e recitais a professora informou que onde houver um espaço aberto pra a poesia e a cultura ela e seus alunos estarão sempre presentes.

Uma vez por ano fazemos uma apresentação no Silogeu e em outras ocasiões usamos o parque de caminhada da Bela Vista, em apresentações realizadas em baixo de uma jaqueira. A nossa última apresentação aconteceu ano passado devido à reforma que está sendo feita no parque”, lamentou.

Lissandro perguntou a Marcone o quanto o Projeto Conexão Poética influenciou em sua decisão pelo curso acadêmico de letras.
“Participei do primeiro recital realizado pela professora ainda quando aluno do Manoel de Holanda, foi muito importante porque serviu para vencer a timidez e aumentar a qualidade do meu aprendizado”, pontuou Marcone.

“Quando fizemos o primeiro trabalho pegamos um poema, interpretamos e pesquisamos tudo sobre o autor, a partir desse trabalho resolvi fazer o curso de letras”, lembrou Marcone.
Ele declarou que gosta muito de poesia caipira tendo como seu favorito “Patativa do Assaré”, porém declarou-se leitor assíduo de Olavo Bilac e Manoel Bandeira.

Por telefone, a professora Severina Moura participou dando parabéns aos alunos e professores, dizendo que tem extremo orgulho de ter sido professora de Marilene e parabenizou Marcone Ferreira por sua integração com a língua portuguesa.
Severina Moura ressaltou a importância desse projeto e sugeriu que ele fosse estendido a todas as escolas da Vitória de Santo Antão.

Perguntada sobre as pessoas que apoiam o projeto, a professora Marilene informou que conta com o apoio da Secretaria de Educação, UFPE – CAV Vitória, na pessoa de Jeane da Paz, diretores das escolas, em especial da Manoel de Holanda, bem como o apoio dos professores, que em sala de aula possibilitam aos alunos a escolha das poesias que serão recitadas nos sarais, os quais em breve voltarão ser realizados embaixo da jaqueira do parque da Bela Vista.

Durante o Programa o apresentador reforçou com a Profa. Marilene que fizesse um relato sobre as Olimpíadas de Língua Portuguesa:
“A Olimpíada é o resultado de uma parceria entre o Ministério da Educação e a Fundação Itaú social com o objetivo de colaborar com a melhoria do ensino e da leitura. A Olimpíada acredita ser possível fazer da escrita na escola algo forte e interessante, algo tão intenso que possibilite que alunos e professores pensem mundos transformados pela força da palavra escrita. Com o tema “O lugar onde vivo”, a olimpíada pretende resgatar histórias, estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade, o que contribui para o desenvolvimento da cidadania”, salientou.

Segundo Marilene pode participar professores de escola pública estadual, municipal e federal que lecionem desde a 4ª série até o 3º ano do ensino médio.
Essa participação está dividida em quatro categorias: Poema para 4ª e 5ª séries, Texto de memórias para 6ª e 7ª séries, Crônica para 8ª série e 1º ano do ensino médio e finalmente Artigo de Opinião para 2º e 3º ano do ensino médio.

“Para a realização do evento será enviado às escolas uma maleta contendo as atividades ou oficinas a serem desenvolvidas com os alunos, além de mais uma maleta com material suporte para cada gênero, inclusive acompanhado de CD”, explicou.

Lissandro quis saber como acontecerá à seleção dos textos produzidos pelos estudantes.
“O professor de cada uma dessas turmas seleciona o melhor texto e depois todos se juntam para selecionar o melhor entre eles, o qual representará a escola, e assim acontece com os outros gêneros. Nenhuma escola pode enviar mais de um texto por categoria, pois se isso acontecer anulará todos os outros textos da referida escola”, informou.

“Os textos selecionados deverão ser encaminhados até o dia 16 de agosto à Secretaria de Educação, mas até lá nós estaremos visitando as escolas que estão participando da Olimpíada e tirando as dúvidas que forem surgindo. Contudo, a escola tem que está inscrita no MEC até o dia 14 de maio”, lembrou a coordenadora.
“É muito importante que o professor não se esqueça de registrar suas experiências com a realização das oficinas, pois caso seu aluno seja selecionado entre os 500 textos semifinalistas, o professor terá que apresentar também o seu relato de prática”, ressaltou.

Finalizando, professora Marilene informou que o prazo de inscrição das escolas se encerram no dia 14 de maio, frisando a importância da participação de todas as escolas vitorienses e da região neste evento.

Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção: Jáder Siqueira, Orlando Leite e Cláudio Gomes.
Equipe: Emerson Lima, Berg Araújo, Genilda Alves.