Ceclin
fev 05, 2015 0 Comentário


PMs e governo de PE não fecham acordo sobre promoções de cargos

PMs de Pernambuco em passeata simbólica para criticar as más condições de trabalho e lembrar a morte do sargento Carlos Silveira do Carmo, assassinado durante rebelião em presídio (Foto: Luna Markman / G1)

PMs de Pernambuco em passeata simbólica para criticar as más condições de trabalho e lembrar a morte do sargento Carlos Silveira do Carmo, assassinado durante rebelião em presídio (Foto: Luna Markman / G1)

Na segunda rodada de negociações do ano, a Secretaria de Administração (SAD) apresentou nesta quarta-feira (4) a resposta ao projeto de lei apresentado por representantes de associações de policiais militares e bombeiros de Pernambuco sobre promoções nos cargos de carreira. O governo quer promover 1.550 soldados para cabos e 810 cabos para sargentos, enquanto os trabalhadores pedem 3.500 e 3.800 promoções, respectivamente. Ainda ficou pendente o Executivo informar os valores do reajuste sobre o vale-alimentação e gratificação dos motoristas. Um novo encontro está marcado para 9 de fevereiro, um dia antes da assembleia geral da categoria, que ocorre no dia 10, às 16h, no Parque 13 de Maio.

A proposta foi entregue pelos trabalhadores no último dia 21 de janeiro. As duas premissas principais eram as promoções de soldados com mais de 10 anos de carreira e cabos acima dos 20. “Fomos trabalhar as possibilidades, e a nossa proposta prevê a promoção de 1.550 soldados e 810 cabos. Nós temos as limitações legais e fiscais do Estado, mas estamos chegando próximo do número de soldados, que é a base da pirâmide, que é o principal ponto de tensão”, avaliou o secretário da SAD, Milton Coelho.

Cinco entidades de policiais militares e bombeiros participaram da reunião, que durou cerca de quatro horas. Para o presidente da Associação dos Praças de Pernambuco (Aspra-PE), sargento José Roberto, que esteve no encontro, a proposta do governo estadual ficou abaixo da expectativa. “Nosso número de promoções não foi atendido e, se parar para pensar, a quantidade que eles nos passaram nem é a real, pois todo ano, no dia 6 de março, há promoções na categoria, e eles já devem estar levando em conta essas promoções que iriam ocorrer de qualquer forma”, disse.

José Roberto afirmou que eles irão avaliar a proposta e apresentar, na próxima sexta-feira (6), uma contraproposta à SAD. Ele ainda informou que a categoria quer que o vale-alimentação suba de R$ 154 para R$ 450 e que a gratificação dos motoristas passe de R$ 79 para R$ 380. “É preocupante levar o resultado da reunião para a tropa, que está insatisfeita. Temos cobrado essas reivindicações desde o ano passado”, apontou.

Cobranças
Centenas de policiais militares se reuniram, no último dia 21 de janeiro, no Centro de Convenções, em Olinda, para discutir a pauta de reivindicações a ser encaminhada ao governo estadual. O clima era tenso e chegou a circular a possibilidade de declaração de greve, mas, durante a assembleia, o deputado estadual Joel da Harpa (PROS), um dos organizadores do evento, anunciou que recebeu uma ligação do Poder Executivo, informando que a Secretaria de Administração (SAD) aguardava uma comissão para negociação. Assim, a greve foi descartada.

A comissão foi formada e seguiu para o encontro com o governo. Enquanto isso, militares que participaram da assembleia fizeram uma passeata simbólica, no Centro do Recife, em homenagem ao sargento Carlos Silveira do Carmo, 44 anos, morto durante rebelião no Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, no último dia 19 de janeiro. A morte do militar foi mais um fator que provocou a insatisfação na categoria.

Em maio de 2014, a categoria fez uma paralisação de três dias que provocou até a intervenção da Força Nacional de Segurança no estado. Durante este período, centenas de pessoas foram detidas, houve registros de saques, assaltos, arrastões e depredações em vários bairros do Grande Recife. Lojas, bancos, shoppings, agências dos Correios e outros serviços fecharam as portas e universidades suspenderam as aulas.

Com Informações do G1/PE.