Ceclin
nov 10, 2009 1 Comentário


Pernambuco tem a 5ª maior delegação no 12º Congresso do PCdoB

O 12º Congresso Nacional do PCdoB foi encerrado neste domingo (8), em São Paulo, com a eleição do novo Comitê Central do Partido, que irá dirigir a legenda até o próximo Congresso, em 2013. Seis pernambucanos fazem parte da direção eleita: Luciana Santos, Renildo Calheiros, Luciano Siqueira, Alanir Cardoso, Marcelino Granja e Valéria Silva.

Pernambuco participou do 12º Congresso com uma numerosa delegação, constituída por 76 comunistas – sendo assim o estado com a quinta maior representação no evento. Mas não só. Os pernambucanos também puderam mostrar, através de diversas intervenções em plenário e na participação nas mesas de direção do encontro, que contam com quadros partidários de grande capacidade política e expressivas lideranças. Entre elas, Luciana Santos, ex-prefeita de Olinda e atual secretária de Ciência e Tecnologia do Estado, eleita vice-presidente nacional do PCdoB e que se tornou o símbolo de um partido renovado e convicto da defesa do socialismo.

Luciano Siqueira faz defesa do Novo Programa Socialista

Citado pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva durante o ato político que foi o ponto alto do 12º Congresso, Luciano Siqueira, vereador e presidente do PCdoB do Recife, fez uma intervenção entusiasmada sobre o caráter revolucionário e socialista do programa partidário aprovado neste congresso, enfatizando que o conjunto de reformas estruturais contidas no Programa Nacional de Desenvolvimento apresentado pelo PCdoB é o caminho adequado às atuais condições do Brasil para a superação do capitalismo.

Elencando uma a uma das reformas propostas – a reforma tributária progressiva, para obrigar a quem tem mais riqueza pague mais, quem ganhe pouco pague pouco e quem não tem nada não pague; a reforma do sistema educacional que assegure ensino de qualidade para todos; a reforma urbana, que impeça o capital imobiliário de continuar ocupando o que há de melhor no território das cidades, tangendo a população mais pobre para os territórios de não-cidade; a reforma agrária que precisa ser completada, a reforma política e a reforma da mídia – Luciano explicou que elas não têm conteúdo socialista. No entanto, a aplicação dessas reformas, que têm sentido antilatifundiário, antiimperialista e de combate ao capital financeiro monopolista e predatório, ajudarão a superar as políticas neoliberais em nosso País.

“Uma vez conquistadas, essas reformas significarão a ampliação dos avanços sociais, a afirmação do Brasil como nação independente e o aprofundamento da democracia. Elas possibilitarão forjar a consciência social para a necessidade de superação do capitalismo e a conquista do socialismo”, assegurou.

Fonte: Site do Vereador Luciano Siqueira