Ceclin
set 12, 2014 0 Comentário


Pernambuco é o quinto em aproveitamento de mão de obra de pessoas portadoras de deficiência

Diário de Pernambuco

Pernambuco é o quinto estado que mais incluiu no mercado de trabalho a pessoa com deficiência (PCD) e os reabilitados da Previdência Social no triênio 2011-2013. O número de contratados pelas empresas passou de 10.074 para 12.585 no período, segundo os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Uma variação positiva de 24,93%, acima da média nacional de 10,29%. Os setores econômicos de comércio e serviços são os que mais absorvem a mão de obra da PCD.

O coordenador do projeto de fiscalização de inclusão da PCD da SRTE/PE, Fernando Sampaio, atribui o desempenho positivo da inserção dos deficientes à nova modalidade de fiscalização, menos punitiva. “Nós fazemos a fiscalização e ao mesmo tempo abrimos um seminário de conscientização e capacitação com os gestores das empresas.” Segundo ele, a lei de cotas, que obriga a contratação da PCD, existe há mais de 22 anos, e muitas empresas ainda têm dificuldades para atender à determinação legal. Atualmente, 300 empresas pernambucanas estão no regime de fiscalização.

Sampaio chama a atenção nos dados do RAIS do saldo de permanência da PCD no emprego. Explicando melhor: mesmo com o fim da fiscalização, as empresas estão mantendo as pessoas com deficiência e reabilitadas nos seus postos de trabalho. De acordo com os dados da Rais, no triênio 2011/2013, houve um total de 13.718 contratações e 10.822 dispensas da PCD e reabilitadas. O saldo líquido é de 2.896 trabalhadores, o que equivale a 21,11% do total de contratados, acima da média nacional de 12,19%. Vale lembrar que a empresa que ainda não cumpre a cota fica proibida de demitir.

Saiba mais AQUI.