Ceclin
Maio 07, 2011 1 Comentário


Pernambuco e as fortes chuvas: É possível evitar tantas tragédias?

por Anderson Diego


Nos últimos anos, está se tornando “comum” nas épocas de inverno – de muita chuva, Pernambuco figurar nas manchetes dos principais jornais de todo o País. Mais o que poderia ser feito para evitar tantas tragédias?


Entristece-nos ver tantas tragédias, caos urbano e desorganização das nossas Cidades diante dessas catástrofes naturais. Reforçadas pela forte influência da ação do homem na natureza: desmatamento, ocupação das zonas ribeirinhas, poluição, além é claro, da falta de planejamento urbano das Cidades.


O que poderia ser feito? Como mudar ou melhorar este quadro? Adianto algumas soluções que poderiam ser dadas a todas estas problemáticas:


1º Antecipação ao problema: é preciso existir políticas que viabilizem o mapeamento das áreas de risco, que busquem prevenir as pessoas e os órgãos responsáveis (através dos estudos científicos e das análises de dados) donde poderá chover, e desta forma, evitar tantas tragédias, tantos transtornos e perdas.


2º Reforma Urbana: é nítido, principalmente, nas Cidades Pólos (Recife e a Região Metropolitana, Vitória de Santo Antão e a Zona da Mata, Caruaru e o Agreste, Petrolina e o Sertão do São Francisco, dentre outros grandes centros) toda vez que o inverno, e assim, as épocas de chuvas chegam, o caos urbano se forma. Seja pelo crescimento descontrolado desses centros urbanos, seja pela falta de estrutura dessas Cidades: trânsito caótico, precariedade no abastecimento d’água, moradias em áreas de risco de deslizamentos e de inundações, e principalmente, pela falta de qualidade de vida das pessoas – falta de espaços para lazer, práticas esportivas e áreas de preservação ambiental. Portanto, para mudar este quadro, é preciso desenvolver Planos Pilotos nestas Cidades em consonância com as suas peculiaridades. Pensando na qualidade de vida das pessoas como principal “bem”.


3º Relações entre os Poderes Públicos e a Sociedade: é fundamental e necessária a convivência harmônica entre os poderes públicos, principalmente, os Governos Municipais, Estadual e a União. Buscando disseminar as informações e compartilhar os investimentos. Entre a sociedade é importante debater, acrescentar e programar as suas ações e projetos.


4º Projetos, Investimentos e Acompanhamento Permanente: todas as ações, programas e decisões possuem um custo, ou seja, necessitam de recursos e projetos! Para tanto, é necessário “planejar” investimentos que viabilizem as ações de prevenção, estruturação das Cidades e sobrevivência das pessoas diante do caos das enchentes e deslizamentos (alojamentos, moradias populares – buscando retirar as pessoas das zonas consideradas de risco, hospitais adequados a estes tipos de urgências e atendimentos – reforço de suporte através de helicópteros, ampliação de UTI’s, etc., além das necessárias reservas de mantimentos).

Outro fator importante, esta relacionado ao aumento necessário e gradativo dos investimentos para a ampliação do corpo técnico das Defesas Civis nos municípios e no Estado, além do melhoramento dos serviços metereológicos, através da contratação de pessoal e dos investimentos na atualização dos instrumentos tecnológico.

Por fim, é fundamental investir no melhoramento das estradas e vias de acesso (fator logístico) para que o desenvolvimento e este ciclo de interiorização dos recursos e empreendimentos em Pernambuco não parem!

Encerro, prestando solidariedade a todas as famílias que estão desabrigadas, que sofreram perdas de entes queridos (algo irreparável), como também, pela perda de seus preciosos bens que são conquistados com tanto esforço e suor!


Por Anderson Diego,

Colunista do Blog e Especialista em Administração de Marketing (FCAP – UPE).