• Ceclin
abr 30, 2009 0 Comentário


Pernambucana internada na Paraíba com suspeita da doença

Mulher natural de Pombos, que voltou do Texas com sintomas da gripe suína, está internada no isolamento em hospital no município de Patos

Wagner Sarmento

No dia em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou o nível de alerta de pandemia de gripe suína para 5 numa escala que vai até 6, a Secretaria de Saúde da Paraíba informou ontem que o primeiro caso suspeito da doença no Estado é de uma pernambucana. Uma babá de 22 anos, que é natural de Pombos, na Zona da Mata de Pernambuco, e não teve o nome divulgado, voltou do Texas, nos Estados Unidos, no dia 22, com sintomas da gripe que começou no México e já se espalhou por oito países.
A jovem trabalha na casa de uma família na cidade de Patos, no Sertão paraibano, e está em isolamento no Hospital Regional do município. O caso não consta do boletim divulgado ontem pelo Ministério da Saúde (MS), onde estão registrados dois casos suspeitos, em Minas Gerais e São Paulo, e 36 monitorados em 11 Estados.
O secretário de Saúde da Paraíba, José Maria de França, concedeu uma entrevista coletiva à tarde. Segundo sua assessoria de comunicação, ele mesmo telefonou ao MS para falar da existência do caso. A Gerência de Vigilância em Saúde do Estado ficou responsável por repassar a ficha completa da paciente ao governo federal.
De acordo com a assessoria de imprensa do ministério, o boletim de ontem foi fechado às 14h, e somente hoje, após o registro do caso no banco de dados, a Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde fará contato com a Paraíba para se inteirar.
Em entrevista por telefone ao Jornal do Commercio, a coordenadora da 6ª Gerência Regional de Vigilância Epidemiológica, Francisca Ilva de Lacerda, disse que a pernambucana está há três dias internada no Hospital Regional de Patos. Técnicos do Laboratório Central (Lacen) realizaram, ontem, a coleta de secreção da paciente.
O material será encaminhado, hoje pela manhã, para o Instituto Evandro Chagas, em Belém, onde especialistas em infectologia avaliarão se o caso é ou não de gripe suína.
Francisca afirmou que espera que o resultado seja divulgado até amanhã. “Antes de sair o resultado, a paciente não poderá ter alta médica”, frisou a coordenadora.
Na coletiva, o secretário José Maria de França considerou que a confirmação pode demorar um pouco mais que o previsto. “O resultado deve sair em 10 dias. Mas não existe motivo para pânico”, declarou.

VIAGEM

A babá pernambucana, que cuida de dois filhos pequenos do diretor-presidente de uma faculdade particular paraibana, voltou do Texas com a família para quem trabalha na quarta-feira da semana passada. Desembarcou no Aeroporto Internacional do Recife, sem apresentar os sinais da gripe suína e foi passar alguns dias com seus parentes em Pombos, a 60 quilômetros da capital pernambucana.
Na sexta-feira passada, ela começou a sentir os primeiros sintomas. Atendida no Posto de Saúde da Família (PSF) da cidade, tomou medicamentos contra gripe comum.
No domingo, voltou a Patos e anteontem foi internada. “A babá apresentava febre, garganta irritada e dores na cabeça e no corpo”, elencou Francisca Ilva. O último boletim médico revelou que o quadro dela é estável. Apesar da melhora, a paciente continua mantida em isolamento. Médicos e enfermeiros que cuidam do caso estão utilizando máscaras.
“Ela está em observação. Estamos tendo toda a cautela e precaução, já que ela veio de uma região afetada pela gripe suína”, observou a coordenadora da 6ª Gerência Regional de Vigilância Epidemiológica.
A secretaria recomendou que as pessoas que tiveram contato com a doente também fossem observadas e se reservassem. Nenhum membro da família para quem a babá trabalha, contudo, desenvolveu os sintomas da doença.

TRANQUILIDADE

“Fui informado que o quadro da paciente já era estável e que a febre havia cedido. É normal que as pessoas se apavorem e é até bom que tenham medo dessa doença, porque terão mais cuidado para se prevenir. Acredito que a Paraíba e o Brasil não terão uma epidemia, pois todas as providências de prevenção e enfrentamento estão sendo tomadas”, afirmou o secretário José Maria de França.
(Jornal do Commercio).