Ceclin
maio 19, 2009 1 Comentário


Perdigão pode mudar planos para o Estado

Publicado em 19.05.2009
A empresa pretendia construir uma fábrica de produtos lácteos, de embutidos, central de distribuição e fazenda modelo em Bom Conselho, mas projeto deve ser revisto em função da união com a Sadia
Adriana Guarda

A criação da Brasil Foods – a partir da fusão entre Sadia e a Perdigão, que deve ser anunciada esta semana – poderá alterar o projeto de implantação do complexo agroindustrial que a Perdigão está erguendo em Bom Conselho (a 266 quilômetros do Recife). O plano inicial previa a construção de uma fábrica de produtos lácteos, uma unidade de embutidos, central de distribuição e fazenda modelo no município, com investimento de R$ 380 milhões. Por outro lado, em março a Sadia inaugurou a sua primeira fábrica de embutidos do Nordeste, no município de Vitória de Santo Antão. Com a união, o projeto da unidade de embutidos de Bom Conselho pode ser revisto.
“A nova empresa deverá redefinir suas estratégias, otimizando os investimentos. Duas fábricas de embutidos no mesmo Estado podem fazer o grupo perder a economicidade de escala. Com isso, o mais provável é que o empreendimento da Perdigão se limite aos laticínios”, analisa o economista pernambucano Sérgio Buarque.
A fábrica de lácteos da Perdigão tem previsão de ser inaugurada entre o final de junho e o início de julho. Fontes do mercado dizem que os testes na unidade de Bom Conselho devem ser iniciados no próximo dia 20. A própria planta de laticínios chegou a ter o cronograma adiado. A previsão anterior era que a fábrica fosse inaugurada no primeiro trimestre. A companhia também alongou o planejamento da fábrica de embutidos para 2012. “É natural que o cronograma seja esticado, até porque num cenário de crise é preciso reavaliar”.
Tanto a Sadia quanto a Perdigão decidiram estrear com unidades produtivas no Nordeste por conta do crescimento do consumo na região. No ano passado, a Sadia vendeu cerca de 24,5% mais para os nordestino e a região passou a ser a segunda maior compradora da empresa, superando o Sul e ficando atrás apenas do Sudeste.
O prejuízo de R$ 2,6 bilhões com a operação de derivativos em 2008 fez com que a Sadia chegasse a paralisar as obras da fábrica de Vitória de Santo Antão, mas como a construção já estava avançada, a ordem dos acionistas foi concluir o empreendimento.

Na avaliação do economista José Raimundo Vergolino, uma possível mudança no projeto da Perdigão não deve prejudicar Pernambuco. “A tendência é que o novo grupo aposte apenas na unidade de lácteos em Bom Conselho e vá aumentando a produção da fábrica de embutidos em Vitória de Santo Antão, de acordo com a demanda do mercado”, acredita.
Em âmbito nacional ainda não se sabe qual será o tamanho das mudanças, mas é certo que a localização geográfica das fábricas sofra ajustes. Hoje, só a Perdigão conta com 25 unidades de carnes e outras 15 de leite, contra 17 plantas de carnes da Sadia.
(Jornal do Commercio).