• Ceclin
out 14, 2010 34 Comentários


Pedro Queiroz diz que vai à Justiça impugnar Aglaílson

Houve reviravolta desta quarta para quinta-feiras na política vitoriense. Feita nesta manhã a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão, o candidato a presidente derrotado, Pedro Queiroz (PPS), não se conteve e “abriu o jogo”, revelando o que a população ainda não sabe. Ele perdeu a disputa para o vereador que estava licenciado, José Aglaílson (PSB), que surpreendeu a todos ganhando por 6 X 4 a presidência da Casa Diogo de Braga.
Disparando sua já conhecida “metralhadora”, começou logo cedo chamando os populares através de carro de som, convidando a todos para conhecerem “a caixa preta cheia de dinheiro”, que segundo ele, existe na Câmara  liderado pelo atual presidente Mano Holanda e que agora repassa para José Aglaílson.
“Antes diziam que Aglaílson era matador. Mas devo lembrar a todos que a vitória do prefeito Aglaílson em 2000 deve-se a mim. Lembra Aglaílson da moça que mataram no final da Av. Mariana Amália e você com medo de perder a eleição contou com o meu ombro”, insinuou apontando para o ex-prefeito, lembrando de um fato ocorrido no Comício do PSB, mas que não teve nada haver com política.
Queiroz acusou que o dinheiro rolou solto nesta madrugada nas mãos de vários vereadores, insinuando que Mano foi o grande beneficiado. Neste momento, os ânimos se exaltaram.
Mano, como presidente da Sessão pediu que Pedro se limitasse a pauta. Quando disparou: “Venha me tirar da Tribuna. Se tiver homem ou capanga aqui dentro venha me tirar”. Aproveitou a ira para chamar Mano Holanda e André de Bau de “covardes”.
Não perdoando Pedro cutucou Mano: “Vossa Excelência não tem voto. Está provado nesta eleição 2010 quando apoiou o Federal Cadoca. Comeu o dinheiro e deu míseros votos a Cadoca. Agora os meus votos eu não precisei comprar”, vaticinou. Não descansando cutucou Sylvio Gouveia, seu inimigo predileto: “Tem filha de Vereador que ganha 3.500,00 Reais do Programa Saúde da Família sem bater ponto”.
Pedro Queiroz afirmou na Sessão que já tem os papéis prontos para questionar judicialmente a legitimidade da candidatura a Presidente da Câmara do vereador licenciado José Aglaílson. Aglaílson teve que se afastar às pressas do cargo que exerce no Palácio do Campo das Princesas e retomou sua vaga na Casa no dia da Sessão, pelo qual aproveitou para lançar-se presidente. “Quero deixar claro que vou à Justiça pedir a impugnação desta candidatura”, prometeu.
“Não é de hoje, e é bom que o povo de Vitória saiba, que existe a aliança de Mano com Aglaílson. Todos os locutores das emissoras de rádio e TV de propriedade da família Aglaílson estão empregados e são pagos pela Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão”, denunciou Pedro acusando Mano.
“Este filhinho da mamãe (se referindo a Mano) acende uma vela para Deus e outra para o diabo”, detonou. 
Aparteado por Mano, o presidente se defende: “Tenho orgulho e nunca esqueci de dizer que tenho orgulho da minha mãe (Diva Holanda)”. Mano continuou: “Vossa excelência não conhece e não tem força moral. Entendo de lealdade, não de roubo”, rebateu.
Aproveitando o uso da Tribuna por parte do vereador Sylvio Gouveia (PSB), este foi interrompido diversas vezes por Pedro Queiroz. Fato que gerou um bate boca no meio do Plenário, precisando da intervenção de Novo da Banca para não ir aos finalmente!
Sylvio responde a Pedro: “Pedro Queiroz é condenado na Justiça por improbidade administrativa. Foi preso e condenado por roubo aos cofres públicos. Sua vaga como vereador está sub judice“, rebateu.
Queiroz não perdoou: “Vou continuar falando e citando o seu nome. O senhor nunca foi nada. Eu fui prefeito por 45 dias e Vitória teve importantes obras comigo. O senhor não tem moral para me criticar”, alfinetou. Reforçando mais ainda o ódio pessoal existente entre os dois.
“Óleo de peroba é pouco para essa gente”, finalizou Pedro Queiroz.
por Lissandro Nascimento.