• Ceclin
dez 13, 2012 1 Comentário


Pedetista rebate atual prefeito de Gameleira

Folha de Pernambuco

Beneficiada com o reajuste salarial de 50% aprovado pela Câmara Municipal, a prefeita eleita de Gameleira, Yêda Augusta (PDT), rebateu as declarações do atual gestor, Severino Ramos (PSB), de que a proposta passou sem seu conhecimento e no apagar das luzes. De acordo com a pedetista, contudo, havia por trás o interesse de garantir o aumento para o socialista, já que os vereadores votaram antes mesmo das eleições, na expectativa de o PSB eleger o candidato governista, José Tarcízio Feijó de Melo.

“A resolução em questão foi aprovada pela atual legislatura, na qual sete dos nove vereadores que a compõem são correligionários do atual prefeito Severino Ramos, provavelmente na expectativa de eleger seu candidatoTarcízio Feijó”, declarou a pedetista. Atualmente o salário de prefeito está fixado em R$ 10,5 mil e será de R$ 15 mil, a partir de 2013.

Diante disso, ela aproveitou para lembrar que o próprio prefeito já aumentou o seu salário, ao final do primeiro mandato. “Em 30 de dezembro de 2008, quando já iria iniciar o segundo mandato dele, em 2009, ele fez os vereadores aprovarem essa Lei, aumentando de R$ 5 mil para R$ 10,5 mil. Ele não tem muito o que falar. Mas acho acho que ele deve estar com raiva ou com ciúmes dos vereadores dele ou alguma coisa assim, não sei”, provocou Yêda. “Portanto, não houve conversas nem votação no apagar das luzes, como ocorreu em 2008, quando o prefeito Ramos aumentou o próprio salário em mais de 100%”, acrescentou. Sobre as declarações do socialista a respeito do aumento em tempos de dificuldades nos municípios, a prefeita eleita ressaltou que os vereadores é que devem se posicionar.

Na matéria de ontem, foi publicado que a entrevista foi com Sandro Pimentel, conhecido como Doca (PTB), informando que ele é vereador de Gameleira. Porém, ele foi candidato e não conseguiu se eleger. A entrevista, na verdade, foi com o vereador Edinaldo Pimentel (PSB), que foi candidato a vice na chapa de Tarcízio Feijó.