Ceclin
jun 05, 2013 0 Comentário


Pedetista: “nada impede que eu seja candidato”

Com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de realizar novas eleições no município de Água Preta, Zona da Mata, e ter conquistado o direito de disputar novamente o pleito municipal, o empresário Armando Souto (PDT) está trabalhando para esclarecer à população que nada o impede, do ponto de vista legal, de concorrer novamente a prefeito da cidade.

Souto venceu o último pleito de outubro com 52,75% dos votos válidos, mas a Justiça Eleitoral considerou nulos os votos do candidato por conta de uma intervenção do diretório estadual do seu partido no município para apoiar o adversário do pedetista, o prefeito Eduardo Coutinho (PSB). “Nada do ponto de vista legal impede que eu seja candidato”, garantiu. O objetivo do prefeiturável é vencer a eleição e apoiar o governador Eduardo Campos (PSB) na disputa para a Presidência da República em 2014. “Eu quero ter condições de apoiá-lo para presidente da Republica e mostrar ao meu povo de Água Preta que ele não é o mentor de tudo isso. Eles (os adversários) deixaram transparecer que foi o governador que mandava”, disparou.

Atualmente, Armando Souto está na expectativa da publicação do acórdão do TSE para que o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) marque uma nova data para o pleito municipal. A expectativa do pedetista é que o acórdão saia ainda esta semana e que a nova eleição seja realizada em julho. “Quero registrar que o TRE consertou um erro que havia cometido e encaminhou para o TSE o nosso recurso com rapidez. Agora, a população de Água Preta poderá ter uma eleição limpa”, comemorou.

Por enquanto, a cidade está sob o comando de Eduardo Coutinho, mas a partir da publicação do acórdão caberá ao presidente da Câmara Municipal assumir a gestão. No entanto, Armando Souto relata que há uma disputa entre os vereadores Lula do Ariado (PCdoB) e Elias de Alegrete (PTN) pelo comando da Casa.

Ele relatou que conta com o apoio de deputados estaduais e federais que pretendem apoiá-lo na disputa. “São pessoas que me ligaram, querendo me apoiar porque acham que é preciso corrigir a injustiça que fizeram comigo”, relatou. Apesar de estar no comando do Executivo municipal, Eduardo Coutinho não pode disputar a eleição suplementar e o seu grupo político ainda não definiu um novo candidato para a disputa.