Ceclin
mar 27, 2008 5 Comentários


Paulo Roberto versus Aglaílson: "Diga o dia, hora e local para o Debate"

Em entrevista coletiva concedida a imprensa vitoriense no estúdio da Rádio Tabocas FM (98.5) hoje (27) pela manhã, o pré-candidato a Prefeito da Vitória, Paulo Roberto (PSDB) respondeu as críticas deferidas pelo ex-prefeito José Aglaílson (PSB) que usou a rádio Cultural AM de sua propriedade.

Em matéria postada neste Blog (01/03/08) do qual o Diretor da Facol havia reforçado o convite para debater as questões do Município com toda a equipe da administração do PSB local, finalmente Aglaílson atende o desafio de Paulo Roberto e declarou que quer o debate (ver matéria abaixo). Segundo o pré-candidato a Prefeito pelo PSDB disse que “espera que este debate seja técnico, sem execração e sem falácias”. Declarou que espera que o Aglaílson agende dia, hora na sua TV Vitória (canal 58). Considerou que o ex-prefeito como um homem de bom nível educacional “possa tornar o debate produtivo, esperando poder discutir o melhor para Vitória de Sto. Antão”. Completando: “acho que é um displante ver uma pessoa como ele atacar de modo chulo a minha pessoa e uma instituição que orgulha a região como a FACOL”. Paulo Roberto lembrou que “precisamos do contraditório na democracia e que se faz necessário respeitar as diferenças”, numa alusão de que o ex-prefeito não aceita críticas construtivas e afirmou que “ele age com a emoção e não com a razão”.
Sobre o fato de Paulo Roberto ter sido vice-prefeito no governo de Carlos Breckenfeld (ex-PFL), Aglaílson havia dito que ele também era responsável pelas mazelas daquele grupo. “Nunca exerci o cargo de Prefeito da cidade, portanto, não é o meu governo. Fiquei na expectativa da oportunidade e não assumi”, emendando: “e se caso tiver a oportunidade de assumir a Prefeitura um dia, pedirei a Deus para me iluminar e governar Vitória para toda a sociedade e não apenas para um grupelho político, como ele faz”.
Quanto a acusação de que Paulo Roberto ficou com raiva de Aglaílson por ter facilitado a vinda do campus da UFPE para Vitória ele afirmou:”espero que tenha mais faculdades e venha mais universidades para Vitória, não fiquei com raiva não! Acho importante o filho do homem pobre ter acesso ao ensino superior. Eu sei o quanto isso é importante, pois eu nasci pobre na beira do rio, alí no Dique”. Ainda faz a cobrança: “o pessoal dele e ele que tá escutando, devo lembrar para que a Prefeitura pague a Pós-graduação que nós oferecemos aos Professores do Município, estamos esperando há anos o pagamento”.
Falou ainda que ele não autorizou derrubada de casa de ninguém “eu não sou da Prefeitura para expedir licença de construção”. Lamentou que o governo dele desordene a parte urbanística da cidade, permintindo, inclusive, a invasão de terrenos da União. “Com a vinda de diversas fábricas para Vitória vamos ter a chance de melhorar o transporte público, a exemplo da vinda do Metrô da RMR para cá e o que ele permitiu fazer: destruir as linhas férreas”, sentenciou. Pediu ainda para que os assessores de Aglaílson consultem as provas nacionais da OAB e “lá vão constatar que fomos a primeira faculdade do Nordeste a adquirir nota superior em termos de aprovação (87%). Os alunos de Direito da FACOL estão de parabéns, Vitória tá de parabéns”. No final convidou: “Aglaílson tá convidado para falar aqui na Rádio Tabocas FM, o espaço que eu tive ele vai ter, venha cá falar nesta emissora, eu não me oponho; e pode marcar que eu vou para um debate sério nas suas rádios e na sua televisão”, concluiu.

Reportagem: Lissandro Nascimento.