Ceclin
jul 30, 2011 5 Comentários


Pastoral Carcerária

A Pastoral Carcerária é a mais gratuita de todas as pastorais, ela representa de maneira admirável a imagem de Jesus que vem ao encontro dos que foram excluídos do convívio social tentando salvar ensinando que existe o arrependimento, a transformação das criaturas e o perdão de Deus. Sem nada receber, é a presença da Igreja nos cárceres repetindo continuamente a indagação:

O que Jesus faria ou diria nessas situações?

Como trataria essas pessoas?

Sua ação torna-se parte integrante da atividade missionária da Igreja, constituindo um dever pastoral para todos os cristãos. Esse indispensável trabalho pastoral busca promover de modo eficaz e corajoso os direitos humanos, consolidados no Evangelho e na Doutrina Social da Igreja, através da palavra, da ação e da colaboração mútua, visa comprometer-se firmemente na defesa dos direitos individuais e sociais do homem e da mulher que padecem nos cárceres.

Procura escutar os irmãos encarcerados Evangelizar essas pessoas, mantendo um diálogo com a sociedade para formar uma consciência comprometida com a defesa da vida, denunciando os tratamentos desumanos e degradantes, ajudando o detento a conhecer os seus direitos e deveres e, a lutar por sua recuperação conquistando o seu lugar na sociedade, porque toda pessoa é digna de respeito e de justiça. A educação para a justiça passa pela recuperação e o exercício dos valores morais pessoais, coletivos e sociais.

O preso é o resultado do julgamento que a sociedade faz de quem cometeu um delito visando afastá-lo do convívio social, para proteger a sociedade de novos crimes e dar oportunidade à pessoa condenada de corrigir-se, mas não é somente isso, é um ser humano que errou e que merece ser tratado como filho de Deus. Estatísticas provam que a maioria absoluta dos crimes cometidos são contra o patrimônio, furtos e roubos, motivados invariavelmente por envolvimento com drogas, cometidos por jovens oriundos de famílias desestruturadas, que abandonaram a escola e sem religião.

Essa missão pastoral é muitas vezes incompreendida, criticada e não recebe a simpatia de muitos que desconhecem o verdadeiro sentido e necessidade de ser trabalhado a ressocialização aos reclusos. É bom lembrar que nosso sistema penal não prescreve a prisão perpétua e a pena de morte, significando assim, que todos os presos voltarão ao nosso convívio, melhorados pela ação e misericórdia dos ensinamentos de Cristo, ou “pós graduados” em maldade, violência, rejeição social e familiar e total desesperança de tudo.

Com a inestimável ajuda, compreensão e apoio das autoridades judiciárias locais, (juízes, promotoria e assistência judiciária) temos conseguido meios de levar um pouco de humanização aos reeducandos mais carentes e seus familiares, assim, a pastoral tem entregue quando constatado real carência, medicamentos, colchonetes, cobertores, toalhas, sandálias, kit´s de higiene pessoal (creme dental+sabonete+escova de dente+barbeador) enxovais para recém nascidos, além de algumas cestas básicas com alimentos a gestante e mães com crianças desnutridas filhos de presidiários.

Esse apoio proporcionou a Pastoral levar até o Presídio local, uma Cadeira de Rodas para atendimento as pessoas especiais que estão presas, aos doentes e as visitas que necessitam desse equipamento, ventiladores e exaustores para sala de aula e pavilhões com superpopulação, nebulizador para as emergências em crise de asma, além de bolas de futebol, taças e medalhas promovendo campeonato entre times de futebol dos pavilhões. Foi criado grupo de capoeira para melhorar o relacionamento entre grupos e fornecido todo material: pandeiro, berimbau, caxixi, agogô etc.

Incentivando grupo de confecção de trabalhos artesanais, fornecemos tesoura sem ponta, cartolina, cola branca, papel chamequinho em cores, linha, lã, papelão, palito de picolé, tela para confeccionar tapetes, aparas de tecidos, canetas bic, argolas e correntes para chaveiros, alem de linha de nylon e chumbadas para confecção de tarrafas de pesca.

Muitos aprendem e desenvolvem atividades que lhes proporcionarão atividade digna e rentável quando fora dos muros da prisão. Aos que cumprem integralmente sua pena e voltam para casa, tendo profissão definida (cabeleireiro, marceneiro etc.), temos conseguido reinseri-lo na profissão fornecendo os equipamentos que proporcionem retomar a vida e o sustento de sua família.

Essa é a missão da Pastoral Carcerária, grupo de 19 voluntários em Vitória com a fé em Cristo e rezando pela conversão, na luta e na esperança de dias melhores para to
dos. Que Deus nos abençoe sempre.

por Valdemiro Cruz,
Pastoral Carcerária Vitória