• Ceclin
mai 10, 2012 0 Comentário


Parlamentares defendem suspensão da Marcha da Maconha

Portal da Alepe

A Marcha da Maconha, prevista para acontecer no próximo dia 20, foi alvo de protestos no Plenário da Assembleia nesta quarta (09). Segundo o deputado Adalto Santos, do PSB, a Frente Parlamentar em Defesa da Família solicitou ao Ministério Público de Pernambuco uma ação para impedir a realização do evento. Ele citou artigos do Código Penal e da Lei de Drogas em vigor para questionar a defesa da legalização da maconha.

O coordenador da Frente, deputado Pastor Cleiton Collins, do PSC, acredita que o movimento é perigoso, e vai de encontro aos investimentos dos Governos no combate às drogas. Segundo o parlamentar, é necessário questionar a marcha antes que ela se transforme em um carnaval de rua.

Vários deputados criticaram o evento. Pedro Serafim Neto, do PDT, e Ossesio Silva, do PRB, acreditam que a marcha incentiva o uso de entorpecentes. Maviael Cavalcanti, do Democratas, e Antônio Moraes, do PSDB, questionaram a autorização dada pelo Supremo Tribunal Federal à manifestação.

Na opinião de Sílvio Costa Filho, do PTB, mesmo respeitando o direito de ir e vir, a sociedade precisa estar unida para acabar com o mal das drogas. Odacy Amorim, do PT, afirmou que o País precisa de bons exemplos, e defendeu a realização de uma marcha da família.