Ceclin
jun 22, 2010 1 Comentário


Parlamentares cobram ações para socorrer municípios atingidos pelas enchentes

Os transtornos causados pela chuva nos municípios pernambucanos foram comentados, nesta segunda (21 de junho), pelos deputados Pedro Eurico e Eduardo Porto, do PSDB, Izaías Régis, do PTB, Jacilda Urquisa, do PMDB, além de Augusto Coutinho, do Democratas, e Teresa Leitão, do PT.

Eurico criticou a Prefeitura do Recife em razão da morte de cinco pessoas de uma mesma família, ocorrida na última quinta (17 de junho), devido à queda de uma barreira no Córrego do Sargento. O deputado sugeriu a construção de barragens secas para conter as enchentes nos municípios da Zona da Mata, e cobrou solidariedade do Governo Federal com Pernambuco, no sentido de facilitar a reconstrução dos imóveis destruídos.

A situação do município de Bom Conselho foi abordada por Jacilda Urquisa. Ela fez um pedido de informações ao Governo do Estado sobre os motivos do transbordamento do Açude da Nação, ocorrido no último dia 18. Segundo a parlamentar, foram realizadas obras de estreitamento das comportas do açude em virtude das atividades do Complexo Agroindustrial da Perdigão.

Já Izaías Régis fez um apelo à Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), no sentido de providenciar água potável e alimentação para os moradores de Correntes. Segundo o deputado, as chuvas que caíram no município foram responsáveis pela destruição de centenas de casas, deixando a população desabrigada. Régis também destacou que o governador Eduardo Campos está atento para solucionar o assunto.

De acordo com Augusto Coutinho, independentemente do campo partidário, o momento é de união para socorrer as vítimas das chuvas. Teresa Leitão destacou o trabalho do Comitê Ecumênico em apoio às vítimas das enchentes, que se reuniu no último domingo (20 de junho) com o governador Eduardo Campos.
Segundo a deputada, o grupo, que é composto por representantes de ONGs, igrejas e universidades do Estado, decidiu realizar coleta de donativos, cloração das águas, controle de endemias e orientações sobre doenças.

Segundo Eduardo Porto, os prefeitos de cidades pequenas enfrentam dificuldades para realizar obras preventivas de grandes chuvas, devido à falta de verba do Governo Federal.
(Portal da ALEPE).