Ceclin
ago 29, 2018 0 Comentário


Para Maurício Rands, Pernambuco tem “Coligações Frankenstein”

"Estou voltando para política em um momento em que as pessoas começam a dar sinais que querem recuperar a atividade política no Brasil”, disse Rands. Foto: Beto Dantas/Portal de Prefeitura

“Estou voltando para a política em um momento em que as pessoas começam a dar sinais que querem recuperar a atividade política no Brasil”, disse Rands. Foto: Beto Dantas/Portal de Prefeitura

A declaração feita pelo candidato ao governo de Pernambuco, o advogado Maurício Rands (PROS), comparando as coligações da oposição com o famoso personagem fictício de terror do ano de 1818, aconteceu em entrevista na ultima segunda (27/8), ao vivo, ao programa Papo Café, em rede social.

Maurício Rands foi o convidado do Programa Papo Café transmitido ao vivo pela página no Facebook do Portal de Prefeitura. Durante a
entrevista o ex-deputado federal defendeu a harmonia de sua coligação, e por outro lado alfinetou seus principais concorrentes, Paulo Câmara
(PSB) e Armando Monteiro (PTB), que para eles apresentam divergências nas próprias chapas.

FOTO BETO DANTAS PORTAL DE PREFEITURA“O PROS, PDT e Avante é uma coligação no campo da esquerda renovada. E nesse campo nós temos as candidaturas de Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT). Eu como candidato a governador estou apoiando Ciro Gomes, e Isabella de Roldão (PDT), nossa candidata a vice-governadora, vai votar em Ciro. Nossos dois candidatas ao senado, Silvio Costa (Avante) e Lídia Brunes (PROS) vão votar na candidatura de Haddad, algo democrático e que tem coerência programática. Eu vejo nessas grandes coligações que são nossas adversárias, que às vezes chamo de Frankenstein, que têm não só partidos de esquerda e de direita, ou seja, adversários  programaticamente. Têm pessoas que se detestam na mesma coligação, compondo as chapas majoritárias”, argumentou Rands.

Desde a formação da Coligação “O Pernambuco que Você Quer”, que oficializou no último dia das convenções partidárias a candidatura do advogado Maurício Rands (PROS) ao governo de Pernambuco, surgira como uma “terceira via” ao eleitorado do Estado.

Rands declarou ainda na entrevista que: “Acredito na política como maior instrumento de transformação da sociedade pela democracia. Eu saí da política como testemunho para que as pessoas continuassem acreditando nela. E agora volto, porque a política foi ao fundo do poço, e ela está em um momento de reconstrução. O Brasil precisa reinventar a política. Estou voltando para política em um momento em que as pessoas começam a dar sinais que querem recuperar a atividade política no Brasil”.

Mesmo depois do PDT se unir a chapa encabeçada por Maurício Rands (PROS) para ocupar a vaga de vice-governadora, com a ex-vereadora Isabela de Roldão, ainda assim, Paulo Câmara (PSB), considerado oposição a Rands, manteve todos os cargos comissionados que o PDT tem em seu governo, lotados na Secretaria de Agricultura.

por Luiz Fernandes, do Portal de Prefeitura