• Ceclin
ago 15, 2009 0 Comentário


País tem agora 191 milhões de habitantes

Estimativa do IBGE mostra que o Brasil ganhou 2 milhões de habitantes desde 2008. PE tem 8,8 milhões e tornou-se o 2º mais populoso do Nordeste

SÃO PAULO – No último ano, a cidade de São Paulo ganhou 47.344 moradores e ultrapassou, em 2009, a barreira dos 11 milhões de habitantes, segundo as estimativas das populações dos municípios brasileiros, divulgadas ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Recife, manteve a média de crescimento dos últimos anos, com mais 11.679 habitantes de 2008 para 2009, atingindo uma população de 1.561.659. Já o País tem agora 191.480.630 de habitantes nos 5.565 municípios. No levantamento do ano passado, a população total estimada era de 189.612.814 pessoas.

Entre as 27 unidades da Federação, o ranking traz São Paulo (com 41,4 milhões),
Minas (20 milhões) e Rio (16 milhões) concentrando 40,4% da população. Pernambuco tem 8,8 milhões e passou a ser o segundo Estado mais populoso do Nordeste, atrás apenas da Bahia.

O município com maior número de habitantes no País é São Paulo (11.037.593), seguido por Rio (6.186.710) e Salvador (2 998.056). Belo Horizonte, com 2,45 milhões, ocupava o 4º lugar em 2000, mas a partir de 2007 caiu para o sexto, atrás de Distrito Federal e Fortaleza.

No Estado de São Paulo, Borá é o município com a menor população do País, estimada em 837 habitantes, 42 a mais que em 2000. Dos seis municípios que em 2000 tinham menos de mil habitantes, somente Borá e Serra da Saudade (MG), com 890, continuam nessa posição. A análise do IBGE é usada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para cálculo das cotas do Fundo de Participação dos Estados e Municípios e tem como data de referência 1º de julho.

Se continuar nesse ritmo de crescimento, no primeiro semestre de 2014 o Brasil passará dos 200 milhões de habitantes. A estimativa do instituto leva em consideração as taxas de natalidade, mortalidade e migração. A pesquisa mostra ainda que 18% dos brasileiros – aproximadamente um entre cinco – vivem nos dez municípios mais populosos.

No ranking dos dez mais populosos municípios do País, a novidade é a inclusão de Belém, capital do Pará, que alcançou a 10ª posição, no lugar de Porto Alegre. Segundo a estimativa do IBGE, Belém tem 1.437.600 habitantes, desbancando do ranking Porto Alegre (RS), com 1.436.123. O crescimento, segundo Reinaldo Corrêa Costa, geógrafo e pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), se deu ao custo da floresta e da pobreza. Para ele, a capital paraense reproduz um modelo de inchaço dos centros urbanos que se mostra falido.

“Boa parte das pessoas que chega à cidade sai do Maranhão, do Amapá e do interior do Estado, já que Belém é considerado o centro econômico-cultural mais próximo”, afirma. O pesquisador cita a construção civil como um dos principais fatores de atração para a imigração.

Segundo Corrêa, o poder público tem responsabilidade nesse fenômeno, ao não apoiar a pequena agricultura, o extrativismo na Amazônia e não dar às pequenas cidades condições para que desenvolvam autonomia econômica. “Essa apologia do urbano é muito complicada. O que significa estar no ‘top ten’? Por um lado, é a reprodução de um sistema caótico”, avalia.
(Jornal do Commercio)