• Ceclin
nov 05, 2014 0 Comentário


Pagamento do 13º deve injetar R$ 4,8 bi na economia de PE até fim do ano

G1PE

O 13º salário deve injetar R$ 4,8 bilhões na economia de Pernambuco até o fim deste ano. Essa é a estimativa de uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (4) pelo escritório local do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Segundo o órgão, esse valor será destinado ao pagamento de um total de 3,2 milhões de pessoas no mercado formal, público e privado, além de trabalhadores domésticos e beneficiários da previdência social.

O montante que será pago em Pernambuco representa 19,1% com relação ao total verificado no Nordeste, atrás apenas da Bahia (26,6%). O resultado obtido pelo estado representa uma melhora de 12,2% com relação a 2013, abaixo da média do Nordeste, de 14,42%. No ano de 2014, a média nacional ficou em 10,1%. Na região, a elevação do valor pago no 13º salário em Pernambuco só foi superior a da Bahia, Paraíba e do Piauí.

O rendimento médio dos beneficiados com o 13º salário em Pernambuco, segundo o Dieese, será de R$ 1.392,61, com exceção de funcionários que possuem regime próprio no poder público estadual. Os empregados do setor formal lideram a lista dos que devem receber o maior valor médio: R$ 1.804,45. Eles são seguidos pelos beneficiários da previdência (R$ 1.109,17) e empregados domésticos (R$ 780,49).

De acordo com a supervisora técnica do Dieese, Jackeline Natal, Pernambuco se destaca por ter uma das maiores rendas médias da região, mesmo que a variação tenha sido menor que a observada em outros estados vizinhos. “Em estados com menos dinamismo econômico, a influência do salário mínimo é decisiva na composição do rendimento do trabalho. A verdade é que o conjunto dos salários não tem conseguido acompanhar no conjunto todo a variação do salário mínimo”, explica.

Dos R$ 4,8 bilhões, os trabalhadores do mercado formal devem ficar com 66,9% do montante. O restante será destinado aos beneficiários da previdência, cerca de 1,4 milhão de pessoas. Aposentados e pensionistas, inclusive, representam o segmento que teve maior aumento na renda média, com 12,4%, devido à injeção desses recursos. Os assalariados dos setores público e privado (7,9%) e os empregados domésticos (7,7%) vêm na sequência.

O setor do comércio, que amargou resultados abaixo do esperado neste ano, é um dos que mais espera ser influenciado positivamente com a quantia injetada pelo 13º salário. Em Pernambuco, a grande quantidade de feriados e a greve da Polícia Militar foram alguns dos fatores decisivos para o fraco desempenho nas vendas. “Não sei se [esse dinheiro] vai dinamizar a economia na proporção que o setor estima ou deseja, mas esses R$ 4,8 bilhões também vão servir para as pessoas colocar os débitos em dia e readquirir capacidade de compra”, pontua Jackeline Natal.