Ceclin
mar 17, 2017 0 Comentário


Pacientes denunciam falta de medicamentos para esclerose múltipla na farmácia do Estado

Farmacia do Estado de Pernambuco

Desde 2014, o cloridrato de fingolimode, passou integrar a lista de medicamento de alto custo, podendo distribuído pelo Sistema Único de Saúde.

Pacientes portadores de esclerose múltipla estão denunciando que há mais de duas semanas a Farmácia do Estado de Pernambuco não está repassando o medicamento “Gilenya” também conhecido com Fingolimode, que ajuda na progressão da doença.  Desde 2014, o cloridrato de fingolimode, passou integrar a lista de medicamento de alto custo, podendo distribuído pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para pacientes que apresentam um laudo constatando falha terapêutica no uso da Betainterferona, do Glatirâmere, e do Natalizumabe.

 Radio CBN/Recife