Ceclin
set 02, 2010 0 Comentário


Os Brennand sempre apostam alto

Publicado em 02.09.2010

da JC Negócios,
do Jornal do Commercio.
Nos últimos 90 anos, o nome Brennand sempre esteve associado a negócios de grande porte, aplicação intensiva de capital e foco no Nordeste, com presença nacional e exportação. Foi assim com o açúcar, com o cimento, a indústria de azulejos e vidros para embalagens que, na época da implantação, se apresentaram como novas oportunidades. E saídas quando deixam se ser interessantes ou … surgiram ofertas irrecusáveis.

Essa tendência parece ter se repetido agora com a venda da Companhia Industrial de Vidros (CIV), fabricante de embalagens e utilidades de vidro para o gigante americano Owens-Illinois, líder mundial no setor.

Como relatou, ontem, o presidente da CIV e porta-voz do Grupo Cornélio Brennand, Paulo Drummond, ele sempre esteve atento às possibilidades de novos negócios, analisando e identificando os mais diversos segmentos, razão pela qual está apostando na geração de energia, onde entrou a apenas três anos e já possui negócios em cinco pequenas centrais hidrelétricas em operação, com capacidade de geração anual de aproximadamente 1 milhão de MWh. E onde investiu R$ 900 milhões, podendo dobrar isso nos próximos anos.

Segundo Drummond, o grupo entende que como o Nordeste deve continuar a crescer 1 ponto percentual acima do Brasil e o setor de vidros planos bem acima do índice do Nordeste, decidiu entrar nesse segmento com uma planta de R$ 300 milhões, focando no mercado regional e beneficiado-se do fato de a Região ser hoje abastecida por três fábricas no Sudeste. E manterá a participação no Reserva Paiva, cuja perspectiva total de investimento é de R$ 1 bilhão.