• Ceclin
mai 08, 2019 0 Comentário


Órgãos da Justiça unem esforços para realizar audiências criminais em Gravatá

(Foto: Amsterdan/arquivo)

(Foto: Amsterdan/arquivo)

Promotores de Justiça, juízes e defensores públicos estão trabalhando juntos desde o ultimo dia 06 de maio para cumprir uma pauta de aproximadamente 120 audiências criminais na cidade de Gravatá, no Agreste do Estado. A mobilização faz parte do programa Justiça Eficiente, da Corregedoria Geral da Justiça de Pernambuco, e tem por objetivo garantir o andamento de processos que se encontram no acervo do Fórum de Gravatá.

“Essa iniciativa surge a partir de um entendimento de todos os atores do Sistema de Justiça sobre a importância de dar andamento a processos antigos, a fim de dar celeridade à Justiça, evitar a impunidade e gerar paz social”, explicou a promotora de Justiça Fernanda da Nóbrega.

As audiências são referentes a processos que envolvem réus que respondem em liberdade, que por questões de prazo acabam sendo preteridas em relação aos processos com réus presos. Para atender ao volume de trabalho, foram mobilizados quatro promotores e três juízes, além dos que já atuam em Gravatá.

“A Vara Criminal de Gravatá ficou um tempo sem juiz titular e, diante do volume, optamos por trazer essa atuação para a cidade. Com mais agilidade nos processos antigos, podemos minimizar os riscos de prescrição dos crimes, combatendo a impunidade e dando uma resposta à sociedade”, afirmou a coordenadora do programa Justiça Eficiente, juíza Fernanda Chuahy de Paula.

Ainda segundo a coordenadora, o programa já contemplou mais de 40 unidades do Poder Judiciário, com a realização de mais de 62 mil atos em cidades como Timbaúba, Arcoverde, Santa Cruz do Capibaribe e Caruaru.