Ceclin
dez 29, 2020 0 Comentário


SAIBA TUDO: A Oi foi comprada em leilão, por consórcio formado por Vivo, Tim e Claro

OI – a última remanescente de origem nacional deve ser diluída completamente no próximo ano. (REUTERS/ Nacho Doce)

Foi oficializada em dezembro a venda da telefonia móvel da Oi para o consórcio composto por suas principais concorrentes, Claro, Vivo e Tim. A oferta dada pelo trio de companhias foi de R$ 16,5 bilhões, a maior recebida pela Oi. Em meados de 2020, a Highline chegou a demonstrar interesse no leilão, mas desistiu após o lance oferecido pelo consórcio. A Oi já vinha se desprendendo de algumas das suas propriedades, vendendo os seus datacenters e torres, e deve desaparecer completamente do mercado de telefonia móvel brasileiro em breve.

A companhia era a última remanescente brasileira entre as gigantes das telecomunicações em território nacional — e sua base de consumidores será diluída entre suas antigas concorrentes. Contudo, acredita-se que a principal beneficiada será a Tim.

Toda essa negociação ocorre quando o Brasil está cada vez mais próximo de aprovar a instalação de uma rede 5G no País. A velocidade de navegação desta nova tecnologia de internet móvel pode atingir valores 20 vezes maiores que a alcançada pelo 4G, que é a mais veloz disponível atualmente no mercado brasileiro. Para atingir esses picos impressionantes de celeridade, a frequência em que o 5G opera é a de 3,5 gigahertz (GHz), enquanto os sinais 3G e 4G operam em frequências bem menores, entre 1900 e 2300 mega-hertz.

Além das antenas de 3,5 GHz, o 5G também pode operar em transmissores de 26 GHz, que apesar de terem uma área de cobertura menor (cerca de 100 metros, enquanto a de 3,5 GHz cobre o raio de um quilômetro), alcançam velocidades absurdas, e provavelmente estarão restritas a pontos de grandes aglomerações, como parques, estádios, shoppings etc. Isso porque ela permite a conexão de vários aparelhos ao mesmo tempo, sem que ocorra um congestionamento de rede.

O 5G ainda oferece uma latência muito inferior aos serviços de internet atual, o que pode aprimorar a experiência dos usuários brasileiros em diversas plataformas na internet. Exemplos são as de streaming, como Netflix e Prime Vídeo, aulas ao vivo, jogos online populares no País, a exemplo de Fortnite, Free Fire e Among Us, além das plataformas de jogatina virtual, como as melhores slot machines temáticas grátis, onde você pode encontrar e desbravar excelentes jogos com personagens icônicos no vasto catálogo presente no site, se divertindo enquanto concorre a premiações incríveis.

Tim ganha mais com o negócio

Imagem de Clker-Free-Vector-Images por Pixabay

Atualmente, a Tim tem cerca de 23% dos clientes ativos da telefonia móvel nacional — e com a incorporação da base da Oi, a empresa italiana ficará com 32% do mercado. Já a Claro, hoje conta com 26% e pulará para 29%, enquanto a Vivo, que já era a líder do segmento, continuará no topo, indo de 33% para 37%. Para que a negociação não fosse embargada pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a sociedade de operadoras resolveu dividir os clientes da base da Oi de acordo com o critério de dominância regional. Ou seja, a operadora que tiver menos usuários em determinada região é a que deve gerir a base de clientes da Oi no local.

Com isso, a Tim foi a operadora que acabou saindo com uma maior vantagem no negócio, já que tinha uma base consolidada nas regiões Sul e Sudeste do País, onde a Oi apresentava baixa adesão — porém, quando falamos do Nordeste brasileiro, a empresa vendida liderava o segmento em diversos Estados. Desta forma, a Tim, que podia ser considerada a menos preferida da região Nordeste, passa a ser a líder de mercado neste local. Acredita-se ainda que o consórcio deve contratar os serviços da companhia que adquiriu as torres da Oi em um leilão diferente por R$ 1,4 bilhão. A ideia por trás dessa empreitada seria integrar o sinal destas torres com as das demais operadoras, aumentando ainda mais sua área de cobertura.

Assim sendo, a telefonia móvel no Brasil passa a ser dominada por três operadoras, sendo que a última remanescente de origem nacional deve ser diluída completamente no próximo ano.