Ceclin
Maio 24, 2011 0 Comentário


O que fazer para tirar Vitória de Santo Antão das páginas da violência?

A Produção do A VOZ DA VITÓRIA preocupada em manter o cidadão vitoriense sempre bem informado, promoveu debate para discutir o que estar acontecendo com a cidade da Vitória de Santo Antão, tendo em vista que ela encontra-se ultimamente estampada nas páginas do noticiário policial do País.

Para este debate contou-se com a participação dos colunistas do Blog A Voz da Vitória, Elias Martins e Célio Brasileiro, bem como do Correspondente e Repórter Policial José Sebastian, os quais abordaram as circunstâncias que norteiam os atos absurdamente violentos registrados nos últimos meses na cidade.


Tratando-se de violência, em geral é mais do que público e notório que esse é um problema não apenas regional, trata-se de um problema crônico já enraizado na sociedade brasileira aprisionando os cidadãos, então trancafiados em suas casas, se é que assim pode-se chamá-las de moradias, pois cada vez mais é constituída de ferro, material este que compõe as imensas grades e portões que as protegem fazendo delas verdadeiras fortalezas. O que é um absurdo tendo em vista que quem de fato deveria estar preso são esses que tomam as rédeas nas ruas deixando o poder público inerte em reagir, devido por outro lado a omissão daqueles que deveriam trabalhar para sanar esses problemas que impedem uma reação êxitosa no setor da segurança pública.


Vitória de Santo Antão hoje como centro de investimentos industriais em todos os segmentos, recebe atualmente 32 empresas. Paralelo ao desenvolvimento industrial soma-se aspectos positivos e negativos, que historicamente o lado negativo lembra um país de terceiro mundo. A exemplo da decadência da educação, sendo esse um dos pontos cruciais da falta de qualificação, da construção das oportunidades sociais e ascensão profissional. Outro problema se trata do tráfico de

drogas que é mais um fator fulminante na Terra das Tabocas. Ao que contribuiu para Vitória fazer parte da lista dentre as 100 cidades mais violentas desse País, ocupando o 85º lugar em um universo dos 5.545 municípios no Brasil.

O repórter José Sebastian, 24 horas por dia sempre ligado nas notícias policiais, nos trás uma visão desse mundo caótico do tráfico de drogas na cidade já que ele registra diariamente nas postagens aqui do Blog “A Voz da Vitória”.

Um fato inusitado que ele citou foi que existe uma especulação financeira em volta da cotação do Crack aqui em Vitória e que os valores dependem do horário e da exposição ao perigo de ser pego pela Polícia. Durante o dia uma pedra dessa droga chega a custar R$ 5,00 e esse valor duplica durante a noite, devido ao aumento da demanda e ao risco de prisão.

Esse comércio ilegal nos leva a ver estampado nas páginas policias fatos tristes como os que marcaram Vitória de Santo Antão no mês de abril desse ano, sendo um deles o episódio que chocou a cidade deixando como vítimas fatais: Maria da Conceição dos Santos, conhecida por Ceça, 18 anos, e Felipe da Silva Cavalcanti, 17, que chegou a ter o corpo carbonizado. Além de ter deixado outras duas pessoas feridas, a adolescente Amanda Micaella dos Santos, 16 anos, bem como o menor Rodrigo Roberto da Silva, 17 anos. Bem como, o assassinato do radialista e apresentador de TV Luciano Pedrosa, totalizando de janeiro a abril de 2011 constata-se 31 homicídios na cidade.

Sabendo que para a Polícia é difícil evitar homicídios planejados, os chamados crimes de execução, foi cobrado pelos debatedores rondas mais intensas na área urbana acoplado a um aumento no número de efetivos e equipamentos, a fim de atender esta demanda crescente.
Foi lembrado que o Poder Público local precisa intensificar a reposição das luminárias públicas, pois a escuridão facilita atos infracionais de pequeno porte. Além de se ater a uma maior supervisão no entorno das redes escolares, os quais são alvos constantes da abordagem do tráfico de drogas.

Os Colunistas reforçaram a necessidade de se aplicar políticas públicas mais gerais que efetivem uma melhor qualidade de vida às comunidades e forneça oportunidades de ocupação do espaço e do tempo no convívio social, sendo ainda importante atrelar efetivamente a capacitação da mão de obra local a fim de prepará-la para o mercado de trabalho que vêm crescendo no Município.

O combate ao tráfico de drogas, sobretudo o Crack, a intensificação da campanha do desarmamento somado a efetivação destas políticas públicas certamente ajudariam a minimizar a alta incidência dos registros de violência de toda a ordem à qual presenciamos. Contudo, todos concordaram que a impunidade na cidade permeia como condição básica para o agravamento das atrocidades que Vitória e região têm sido vítima.


Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção: Jáder Siqueira, Josimar Cavalcanti, Emerson Lima.