Ceclin
out 22, 2009 1 Comentário


Novo PAC beneficia três cidades pernambucanas

Primeira etapa do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas, lançado ontem pelo presidente Lula, vai injetar R$ 10,5 milhões nos municípios do Recife, de Olinda e Sirinhaém

Wagner Sarmento

Pernambuco tem três cidades entre as 32 primeiras contempladas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas, lançado ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Ouro Preto, Minas Gerais. Olinda, Recife e Sirinhaém receberão, ainda este ano, mais de R$ 10 milhões para obras de preservação do patrimônio histórico. Até 2012, também serão beneficiados outros cinco municípios pernambucanos: Cabo de Santo Agostinho, Caruaru, Goiana, Igarassu e Jaboatão dos Guararapes, além do distrito estadual de Fernando de Noronha.

O superintendente regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Frederico Almeida, informou que Olinda ganhará investimentos da ordem de R$ 4 milhões, a serem aplicados sobretudo na restauração da Igreja de São João Batista dos Militares, cujo teto despencou. O dinheiro também será investido na contenção de colinas históricas (encostas) nos bairros de São Bento, Varadouro e Amparo.

Já o Recife, segundo Almeida, receberá em torno de R$ 3,5 milhões do governo federal. O investimento terá como objetivo embutir a fiação elétrica do Bairro do Recife. “O intuito é melhorar o visual”, frisou o gestor do Iphan em Pernambuco.

O PAC das Cidades Históricas recuperará ainda o Convento Franciscano de Santo Antônio de Sirinhaém. O município ganhará R$ 3 milhões. Além da liturgia franciscana, funcionará no convento uma escola de gastronomia visando à demanda decorrente do turismo e da rede hoteleira no Litoral Sul, assinalou Frederico Almeida.

O superintendente disse que o lançamento do PAC é um passo fundamental no caminho da preservação do patrimônio histórico brasileiro. “Cada cidade tem sua história, e é preciso preservá-la. O grande enfoque desse programa é fazer uma mudança de paradigma e mostrar que essa preservação não atrasa o desenvolvimento das cidades. Pelo contrário, atrai”.

PROGRAMA

Nos próximos quatro anos, o PAC das Cidades Históricas vai contemplar 173 municípios nos 26 Estados e no Distrito Federal. Em 2009, o programa lançado por Lula e oito de seus ministros chegará a 32 cidades espalhadas por 17 Estados. Somente no Nordeste, 19 municípios serão beneficiados em todos os nove Estados da Região.
O presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, afirmou que as obras, além de salvaguardar o patrimônio histórico, vão melhorar a qualidade de vida da população. “O grande diferencial do programa é a requalificação urbana das cidades. Agora, a visão do Iphan é investir na qualidade urbana, na qualidade de vida do cidadão, sendo um vetor de desenvolvimento”, frisou, no site do instituto.

(Jornal do Commercio)