Ceclin
jan 20, 2009 1 Comentário


Novas eleições, velhos palanques em três cidades

Os municípios pernambucanos de Pombos (Mata Norte), Caetés (Agreste) e Lagoa Grande (Sertão) voltaram a vivenciar, oficialmente, intensas atividades de campanha eleitoral.

Os palanques acabaram de ser reorganizados, os candidatos redefinidos e a propaganda foi liberada, segundo o calendário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Pode parecer anacrônico em relação ao cenário estadual, onde boa parte dos políticos já esqueceu o pleito de outubro e tem como foco, agora, as costuras para 2010. Nesses locais, no entanto, o segundo “passeio” pelas urnas, marcado para o dia 8 de fevereiro, é o que contagia, talvez, com mais emoção do que em outubro de 2008. Isso porque os prefeitos e vice escolhidos pelos eleitores foram impedidos de assumir os mandatos, pela Justiça Eleitoral, apesar de eleitos com mais de 50% dos votos. “O sentimento é de que o povo está querendo votar em mim como se estivesse ratificando o que fizeram na eleição de 5 de outubro. É sensível a indignação das pessoas, aquele sentimento de votei, o candidato que eu queria venceu as eleições, mas não vai assumir”, comenta a mais nova prefeiturável de Lagoa Grande, Rose Mary Garziera (PMDB), sinalizando que, por novata na política, administrará, caso eleita, guiada pela experiência do marido, Jorge Garziera (PMDB).
Ele é ex-prefeito, disputou no ano passado e foi eleito com mais de 53% dos votos. Porém, teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado e nem chegou a ser diplomado e tomar posse, porque seu adversário, Robson Amorim (PSB), conseguiu uma liminar no TRE.
Garziera, no entanto, tratou de garantir sua esposa como representante no próximo pleito. Na vice da peemedebista, continua Bedé Rêgo (PPS), que foi companheiro de chapa do ex-prefeito. No campo adversário, aparece Robson Amorim (PSB) com sua vice Wilma Pereira (PR). O socialista sucedeu Jorge, que administrou o município de 1997 a 2004.
Em Caetés, o ex-prefeito José da Luz (PSB) também manteve um representante seu na corrida pela Prefeitura, seu sobrinho, Ermínio Sampaio Neto (PSB), de 21 anos, que será vice na chapa puro sangue encabeçada por Aécio José de Noronha, vereador reeleito em 2008. Em outubro, o filho de José da Luz, Sampainho (PSB), tentou a reeleição – era vice e assumiu a Prefeitura no lugar do pai, que renunciou para concorrer em Garanhuns. Saiu vitorioso, com 54,26% dos votos, mas acabou impedido de assumir o mandato pela Justiça eleitoral. José da Luz foi prefeito de 2001 a 2008. A dupla socialista enfrentará Lindolfo Almeida (PSDB), que tem o vereador Armando Duarte (PTB) como vice.
Em Pombos, o PR homologou a candidatura de Jane Povão (PR), que venceu o pleito de outubro, contudo foi impedida de assumir o mandato porque o seu vice, Patrício Magalhães (PV), foi cassado pela Justiça Eleitoral. Jane foi a vereadora mais votada da cidade em 2004, com 1.220 votos, e presidiu a Câmara durante todo seu mandato. Para vice, ela tem Adejane Lima (DEM). Com elas, vão concorrer Dr. Carlos Alberto (PTB) e Paula Lucena (PTB).

Lideranças se empenham em prol dos aliados

Apesar de caracterizar-se como um retrabalho e de já não contar mais com a tônica do clima de eleições que se alastra pelo Estado no período convencional, o pleito de fevereiro não perde espaço junto às lideranças políticas que já estão pedindo votos novamente para seus aliados.
O deputado federal Inocêncio Oliveira (PR) é um dos que está empenhado na campanha da correligionária Jane Povão, para a Prefeitura de Pombos. Além dele, ela conta com o apoio informal do também deputado federal Carlos Eduardo Cadoca (PSC), do secretário Estadual de Transportes, Sebastião Oliveira (PR), e do deputado estadual Henrique Queiroz (PP). Todos eles prestigiaram a convenção realizada no último dia 14.
“Se uma Jane é bom, duas é muito melhor. São duas lideranças”, enalteceu Inocênio Oliveira, referindo-se a chapa Jane/Adjane. Para ele a situação do vereador Marcos Porteira (PCdoB), que assumiu interinamente o cargo de prefeito, mostrou um retrato: “o hospital não tem nenhum lençol, a infraestrutura da cidade está destruída, a frota deteriorada. Na creche, as crianças dormem no chão. O quadro é dramático. Por isso, Jane Povão vai ganhar disparado.

Em Lagoa Grande, Rose Garziera conta com empenho do prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB) e da deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB). Já o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Fernando Bezerra Coelho (PSB), participou da convenção do correligionário e adversário de Garziera, Robson Amorim. Fernando representou o governador do Estado, Eduardo Campos. O deputado estadual Izaías Régis (PTB) dedica-se à campanha da chapa formada pelo prefeiturável Lindolfo Almeida (PSDB), e seu vice, Armando Duarte (PTB), em Caetés.

Grandes coligações predominam na formação dos palanques das pequenas Pombos, Lagoa Grande e Caetés. As eleições de fevereiro realçam uma espécie de vulnerabilidade política já conhecida.
Legendas de direita dividem espaço com as de esquerda num mesmo bloco, abafando o critério da ideologia partidária. O palanque da candidata de Pombos, Jane Povão (PR), é um exemplo. Aparecem coligados o PR, PRB, PT, DEM, PCdoB PV, PP, PMN e PPS. “Só o PMN, o PPS e o DEM é que não estavam na eleição de outubro”, ressalta Jane, mostrando que saiu mais fortalecida ainda para essa segunda disputa. (Folha de Pernambuco)