• Ceclin
nov 18, 2008 5 Comentários


"Nós não abandonamos a base", diz diretores do SINDVISA

CHAPA 01: diretoria atual busca reeleição.
Em entrevista concedida ao Programa A VOZ DA VITÓRIA pela Rádio Tabocas FM (98,5) na manhã desta terça-feira (18), a atual diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipal da Vitória de Sto. Antão (SINDVISA), hoje candidatos a reeleição pela Chapa 01, processo marcado para o dia 19 de dezembro, declararam posição e procuraram esclarecer aos ouvintes a recente movimentação política em torno do processo de eleição do Sindicato.
Segundo Djair Ferreira, a categoria obteve avanços significativos nos últimos anos e destacou o aumento salarial recente estipulado em 4,19% no salário base. Desde 1991, o Sindvisa reúne os funcionários e professores da rede municipal. “Temos hoje a melhor política salarial do interior do Nordeste, resultado de uma grande pressão ao longo destes anos”, destacou o presidente do Sindvisa.

Os professores do ensino primário obtém um salário base de R$ 903,00, e os de ensino médio obtém R$ 1.329,00 de salário base, com gratificações e outros direitos adquiridos acompanhados, sobretudo para aqueles que possuem mestrado e doutorado. Seguidos pelo Regime Único do Servidor, eles aguardam a apreciação dos projetos de Lei que aguardam Parecer das Comissões Legislativas da Câmara Municipal de Vereadores. “A aprovação destes projetos irão fornecer condições para ampliar e consolidar as conquistas acumuladas nestes anos. Há um sentimento positivo dos vereadores pela aprovação e continuamos vigilantes na votação destes projetos”, ressaltou a Profa. Rosineide (diretora do Sindvisa).

Indagada sobre o atraso no pagamento de salários dos professores que inclusive fizeram greve e denúncia ao Ministério Público local, as Professoras Rosineide e Abigail foram taxativas: “Formamos uma comissão para negociar com o Prefeito Demétrius Lisboa, os Secretários de Finanças e Governo, oficializado através de documento, para cobrar o pagamento do salário atrasado. O prefeito nos garantiu o pagamento no dia 11 deste mês. Pelo acordo, o não cumprimento nos indicaria a pedir a intervenção do Ministério Público. O que houve foi uma precipitação por parte da Chapa de Oposição no Sindicato que tomou esta posição sem embasamento jurídico”, afirmaram as atuais diretoras do Sindvisa.
Houve duas manifestações de professores da rede municipal cobrando a regularização dos salários à revelia do Sindicato. “Nós não nos omitimos. Não há condições de deflagar greve impedidos legalmente. Os salários foram depositados no dia 10 pela PMV. Fomos e cobramos. A chapa 02 nos acusa de abandono. Nós não abandonamos a base”, frisaram.

Atualmente com 960 professores (boa parte vinculados ao Fundeb 40 e 60), a atual direção do Sindvisa afirma que a entidade tem uma história de luta com os demais servidores da Prefeitura e destacaram a atuação do Sindicato como uma das que mais buscou avançar em melhorias das condições de trabalho. “Tivemos um avanço democrático nesta gestão do governo municipal, o que possibilitou avançarmos nestas melhorias para a categoria dos servidores de Vitória”, concluiu a Profa. Rosineide.
Aproveitaram para convocar os servidores públicos para uma Assembléia do Sindvisa que acontece nesta terça-feira à tarde, na nova sede do Sindicato instalada no Bairro Novo.
O acordo salarial foi fechado em 6% que foi renegociado em agosto em virtude do impedimento da Lei Eleitoral, ficando assim: 4,19% em setembro retroativo em agosto, o restante do percentual dentro das perdas da inflação será pago em fevereiro/09 junto com o abono educador, para os ativos e inativos.

por Lissandro Nascimento,
colaboração de Felipe França.