Ceclin
nov 10, 2016 0 Comentário


No 10º Congresso do SINTEPE em Gravatá, Paulo Câmara é tachado de não cumprir acordos

Congresso Sintepe 2016 - Foto  A Voz da Vitória

Na abertura do Congresso do Sintepe, Fernando Melo criticou a postura de não cumprir acordos por parte do Governo de Pernambuco

Por Lissandro Nascimento, enviado especial

Para debater democracia, direitos sociais e valorização profissional, educadores eleitos nos locais de trabalho, ou em plenárias, reuniram-se no 10º Congresso Estadual de Educação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – SINTEPE. A atividade que começou na noite da quarta-feira (9/11) segue até sábado (12), contando com mais de 600 delegados e tem como um dos objetivos, indicar as bandeiras de luta a ser intensificada daqui em diante.

Fernando Melo - SintepeNa abertura, os participantes ouviram grupos artísticos das escolas estaduais que trabalham com a arte como formadora da identidade de sujeitos/cidadãos. O Grupo de Percussão Raízes do Rubem, Grupo Alma Núcleo de Dança e o Projeto Nação Porto Mix foram os responsáveis em enfatizar a cultura nordestina através da apresentação do Maracatu, arte mambembe e entoação dos Hinos do Brasil e de Pernambuco em ritmo tipicamente regional. Sobre o que chamou de “quebra de acordo”, Fernando Melo, presidente do Sintepe, teceu efusivas críticas ao governador Paulo Câmara (PSB), questionando a postura do seu governo em não cumprir acordos, como o sinalizado recentemente de não efetuar a correção salarial da categoria em outubro, para então, só fazê-lo em novembro enviando tardiamente o projeto à Alepe.

Prestigiaram a abertura as presenças de personalidades públicas e representantes de 15 entidades nacionais que apoiam e lutam pelas mesmas causas do SINTEPE. Entre os palestrantes estavam a deputada estadual pelo PT Teresa Leitão, o presidente da CUT-PE Carlos Veras e o presidente do Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) Roberto Leão. A Secretaria de Educação foi convidada, mas nenhum representante compareceu. O presidente do SINTEPE enfatizou que esta discussão se faz em um momento oportuno na história do País, e que a categoria ao participar maciçamente da atividade demonstra o comprometimento que tem em levar a luta adiante, dialogando com os objetivos do Congresso que também é traçar estratégias de intervenção junto aos trabalhadores em educação no atual cenário político e sinalizar para a construção de bandeiras de luta juntamente com a contribuição das forças políticas que compõem o sindicato. “O Sintepe transcende seus limites, pois é um sindicato cidadão, que atua com os todos aqueles segmentos que sofrem com a atual política excludente”.

O presidente do Sindicato, Fernando Melo, ressaltou também a importância do evento: “O congresso é um momento de construção de cidadania, um momento para discutir a educação. É muito importante ressaltar também, além do debate, a representatividade política desse congresso. Nós temos pessoas aqui, trabalhadores e trabalhadoras em educação, de todas as regiões do Estado. Por isso, nós do SINTEPE desejamos mais uma vez que o congresso cumpra o seu papel, e cada delegado e delegada volte ao seu local de trabalho e seja um fomentador desse debate, dê continuidade a esse debate, para que a gente siga firme na nossa luta pela educação pública de qualidade”.

Gaudêncio Frigotto, Professor Doutor da Faculdade de Educação – UERJ, esteve presente no 10º Congresso do Sintepe e falou sobre o golpe político que projeta o desmonte da profissão docente, a reforma do ensino médio e a retirada dos direitos dos trabalhadores. “Quando as gerações não se unem, a liga se quebra. Os nossos filhos e netos, estudantes em luta, precisam aprender com a gente, mas a gente também precisa aprender com eles. Nós temos que congregar forças, porque o que está acontecendo hoje com a educação do Brasil é grave. Nós não podemos ter medo.” Frigotto também falou sobre a importância da união entre gerações na luta por uma educação de qualidade. Bastante aplaudido, ele deixou um recado: “Não tenham medo de nada”.

Além do SINTEPE participaram da mesa de abertura representantes da CNTE, CUT, CTB, Conselho Estadual de Educação/CEE, Fórum Estadual de Educação/FEE, Fórum Nacional de Educação/FNE, Comissão de Educação da Alepe, Associação de Mães, Pais e Alunos das Escolas Públicas/Ampa, União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas/UMES, União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco/UESP, Partido dos Trabalhadores/PT, Partido Comunista do Brasil/PCdoB e Conlutas.

 Confira as imagens…

anigifSintepe 2016