Ceclin
mar 03, 2011 3 Comentários


Nas vésperas do Carnaval Casa Diogo de Braga é esquecida

por Josimar Cavalcanti

Com a Casa legislativa praticamente esvaziada, o então Vice-presidente Dr. Saulo (PSB), inicia a Sessão da terça-feira (1º) exatamente às 20h13, depois de cumprir todo o protocolo regimental fazendo com que essa Sessão não durasse mais que uma hora aproximadamente.

Poucos foram os vereadores que estiveram presentes na plenária que antecede o Carnaval. Os ausentes ficaram por conta do presidente José Aglaílson (PSB), mais uma vez sem comandar as Sessões Ordinárias da Câmara Municipal; os demais foram André de Bau (PMN), Frazão (PR), Irmão Duda (PSDC), Geraldo Enfermeiro (PSB).

Em resposta aos comentários tecidos por Pedro Queiroz na reunião anterior, Sylvio Gouveia (PSB) justifica um suposto Mandado de Segurança que o mesmo teria solicitado perante ao Ministério Público contra as alterações no Regimento Interno da Câmara. Procurando esclarecer que seu Mandado de Segurança foi com relação ao Artigo 51 da Lei Orgânica do Município, que confronta , segundo ele, com a Constituição Federal.
Tais articulações se deram pelo fato do Governo passado ter orquestrado um suposto acordo com os advogados tornando-os Procuradores Públicos, no qual a filha de Sylvio Gouveia foi uma das beneficiadas.

Em defesa de sua filha, Sylvio Gouveia apresentou dois contracheques da mesma ao plenário provando um possível equívoco da parte de Pedro Queiroz, quando alegou que Procuradores nomeados de forma errônea pelo Prefeito anterior (Aglailson) estariam recebendo salários absurdos que poderiam chegar a marca de R$ 16 Mil.
Conforme os contracheques exibidos pelo parlamentar estes atestam o contrário, colocando os rendimentos dos Procuradores de Vitória no valor de R$ 6 Mil. Gouveia solicitou da Mesa a retificação da ata da sessão passada que foi posta em votação pelo Presidente em exercício, Dr. Saulo, aprovada apenas com um voto contrário.

Em sua fala o vereador Pedro Queiroz (PPS), acusou que a Câmara foi omissa e criminosa ao concordar com o contrato dos Procuradores naquela época, dizendo que o Poder Legislativo era o reduto na cidade para servir de depósito de lixo da Prefeitura.

Continuou alegando que Sylvio Gouveia por não ter estado presente na Sessão anterior, este não poderia discutir a ata. Ele pede para que Gouveia tenha mais entusiasmo para colocar o desfile do Clube Abanadores O Leão nas ruas, do qual é diretor, afirmando que “não é por falta de dinheiro pois o Leão movimenta muita verba”, acusou. “O Leão não foi criado para ser casa de festas de 15 anos nem de casamentos, e sim para ser um Clube carnavalesco”, lembrou.

Queiroz ainda requereu à Mesa para que haja uma cobrança da Secretaria de Obras do Município para uma ação no Pátio de Eventos localizada no final da Av. Mariana Amália. “A Secretaria de Obras precisa ter vergonha na cara quanto ao estado em que se encontra a Avenida Mariana Amália e o pátio”, sentenciou.
Para logo adiante lembrar da promessa do Vice-Governador do Estado ao grupo político de Paulo Roberto (Secretário de Cultura e Turismo), ao apoiar a então candidata a deputada estadual Raquel Lyra (PSB), filha de João Lyra Neto (PDT).

“Havia prometido fazer o asfalto do Pátio de Eventos Otoni Rodrigues e até agora nada”, salientou encerrando a sua fala para lamentar quanto ao fato de que a Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão não ter enviado nenhum representante a Audiência realizada pelo Ministério Público de Pernambuco, que proibiu a dezenas de profissionais a fazerem uso de veículos com publicidade sonora e caixas amplificadores de som dentro e fora das lojas no Centro Comercial da Cidade.

Por não haver nenhum outro parlamentar a fazer uso da Tribuna, foi encerrada a plenária.

Por Josimar Cavalcanti,
Correspondente do Blog.

Então, bom Carnaval!