Ceclin
Maio 18, 2010 3 Comentários


Não ao passado!

Em primeiro lugar quero ressalvar que não vou considerar neste espaço a pesquisa do Ibope.

Mesmo que a discrepância de números seja pequena – a vantagem de Eduardo foi de 29% na pesquisa da BAND para 25% nesta outra – a sondagem carece de legitimidade. Como se sabe, foi contratada por um partido político e registrada na Justiça Eleitoral já com o propósito de divulgação.

É natural um partido político encomendar pesquisas. Trata-se de ferramenta de avaliação importante, fundamental para definir rumos de uma campanha.

Quando, porém, um partido político – como fez agora o DEM – contrata um instituto e busca cobertura legal para dar divulgação ao resultado, revela-se, cristalino, o propósito propagandístico de algo que deveria científico, técnico, comprometido com a verdade.

É estranha, inclusive, a atitude do Ibope, ao participar deste episódio. Portanto, do meu ponto de vista não existiu pesquisa do Ibope. Houve apenas a divulgação de um panfleto político.

Mas vamos à pesquisa do Instituto Vox Populi.

A primeira sondagem de intenção de voto ao Governo do Estado, divulgada em Rede Nacional pela BAND – que mostra o governador Eduardo Campos com 57% das intenções de voto contra 28% de Jarbas Vasconcelos – traz um recado claro: os pernambucanos não querem voltar ao passado.

O resultado é obvio, visto que não é possível imaginar que a população queira retornar a situações desconfortáveis, como as vividas no governo anterior (quando o Estado registrava os piores indicadores de saúde, educação e segurança do Brasil, havia baixo crescimento econômico e o interior era totalmente esquecido).

A aposta é em uma administração vitoriosa, gerenciada por um governador que não se atém a interesses políticos eleitorais e sim ao compromisso firmado com os pernambucanos, o que coloca o Estado acima de qualquer prioridade.

Nada mais natural, portanto, que Eduardo Campos – que sustenta aprovação de 85% em todas as sondagens realizadas até agora, pelos mais diferentes institutos de pesquisa – tenha o reconhecimento da população traduzido na decisão de dar continuidade à sua vitoriosa administração.

A preferência por Eduardo fica ainda mais óbvia ao observar seu adversário peemedebista, que reiteradas vezes demonstrou publicamente estar sem disposição e sem vontade de assumir os honrosos desafios de governar o Estado.

O que contrasta com a disposição do governador Eduardo Campos, que se entrega sem reservas à missão que o povo lhe confiou, trabalhando dia e noite para Pernambuco ser o Estado que mais cresce no país, o que mais gera emprego, o que mais cuida da juventude, o que mais investimentos fez em saúde, educação, segurança, com resultados concretos e que estão aí para todo mundo comprovar.

Eduardo tem ainda a seu favor o fato de ser aliado do presidente Lula, que é o chefe de Estado que mais fez pela história de Pernambuco.

Assim, realmente é difícil imaginar que os pernambucanos queiram trocar esta administração vitoriosa pelo risco que representa o passado. O que se vê nada mais é que a decisão tomada pela maioria dos pernambucanos de seguir com o olhar fixado no futuro.


Por Isaltino Nascimento,

deputado estadual pelo PT e líder do governo na Assembleia Legislativa, escreve para o Blog todas às terças-feiras.