Ceclin
Maio 20, 2009 17 Comentários


Na Câmara Aglaílson afaga Paulo Roberto; André pode ser o novo líder

As 17:05 hs do dia 19.05.2009 o Presidente Mano Holanda dá inicio à 16ª Sessão plenária da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão.

Presentes: Sylvio Gouveia (PSB), Irmão Duda (PSDC), Dr. Saulo (PSB), Novo da Banca (PSB), Frazão (PR), Mano Holanda (PMDB), André de Bau (PMN), Everaldo Arruda (PSDB), Geraldo Enfermeiro (PSB) e José Aglailson (PSB).

Ausente: Sandro da Banca (PR). (Já notaram quantas ausências ao longo destas primeiras sessões?)

O lº Secretário Everaldo Arruda subiu a tribuna para leitura da ata anterior e posteriormente apresentação de cinco projetos de lei do Executivo, mais alguns rotineiros requerimentos parlamentares.

Diante de algumas reuniões durante a tarde, só consegui chegar ao plenário as 17:36 hs, encontrando presente a tribuna não mais não menos que o eterno transformador de nossos ouvidos em pinico, José Aglailson.

Cheguei a tempo ainda de ouvi-lo variar, sob a alegação, mais uma vez, que o Presidente Lula proibiu a todas as prefeituras o corte das Bolsas Famílias existentes. (Ele não ouviu o debate do Programa A VOZ DA VITORIA da última sexta-feira na Tabocas FM sobre este tema).

Reclamou para si a autoria da construção do Pórtico de entrada da cidade, em frente ao Parque de Exposições, que já estaria aprovado na chegada da nova administração (só não falou que o mesmo já tinha gasto R$ 300 mil reais, em um pórtico anterior, na redução de um conjunto rochoso e plantio de grama na curva da entrada da cidade, antes do Posto Santa Cristina).
Por fim, em mais uma sessão não se sabe se de delírio, ou simplesmente de uma psicopatia mentirosa, descreveu sua ida a Brasilia, quando trouxera de lá, recursos disponibilizados em cheque, para construção do Restaurante Popular.

(Na realidade o convênio foi assinado em 23.11.2005. A primeira liberação de recursos foi R$ 180.000,00 em dezembro de 2005. Outras três liberações em dezembro de 2006, num total de R$ 580.000,00. Por fim, mais R$ 40.000,00 em dezembro de 2007, completando assim R$ 800.000,00, todos depositados em conta específica na Caixa Econômica, com contrapartida de R$ 200.000,00 pela Prefeitura. A obra já devia ter sido concluída em agosto de 2007, e enfrenta problemas com a empreiteira vencedora da licitação, que iniciou a obra e não concluiu).

As 17:39 hs subiu a tribuna o vereador Geraldo Enfermeiro, para segunda etapa da terapia do pinico. Comentou sobre as faixas de apoio ao movimento contra a instalação do um presídio em Pacas, só não concordava com possíveis funcionários do vereador Irmão Duda como seguidores do movimento.

Partiu para uma medíocre comparação com o movimento encampado pelo Vereador José Aglailson, em sua ida a Feira Nova, em encontro com o governador, só esquecendo que todo movimento encampado pelo mesmo, sempre tem um ar de obrigatoriedade, face a manutenção de muitos empregos na esfera estadual, inchando os ambientes da COMPESA, GRE e Hospital João Murilo.
Fez duras críticas a falta de posicionamento do Prefeito Elias Lira, relacionado a questão do presídio.
Em total falta de conhecimento dos fatos, fez, com seu querido líder, referências a desvalorização de nossa cidade, a partir da vinda do presídio (que não é presídio).
Requereu verbalmente, voto de aplauso a TV 58, pela apresentação do Programa Eleitoral fora de época do Dep. Aglailson Júnior (PSB), que tem influenciado as ações do governo atual, segundo ele.
Falou da licitação recém divulgada no Diário Oficial do Estado, sobre a contratação da Sucesso Serviços Reprográficos, no valor de R$ 137.000,00 onde o mesmo alega ser para confecção de xerox (com a palavra a Prefeitura).

Criticou a presidência pela tentativa de dispensa de Comissões de alguns projetos que acabam de chegar a Câmara (logo ele, o maior dispensador de comissões da história da Câmara de Vereadores?).
Fez duras críticas ao recente serviço de limpeza realizado pela Locar em Cajueiro, e que a prefeitura estaria permitindo a depredação da escola da localidade, por parte de pessoas estranhas.
Classificou de péssima a ação da Secretaria de Saúde, no trato da assolação de Conjuntivite.
Cedeu um aparte ao vereador José Aglailson, que declarou a partir daquela data, ter em Paulo Roberto Leite de Arruda, seu amigo, e para não perder a viagem, fez críticas depreciativas a pessoa do Diretor do Colégio 3 de Agosto, professor Batista. Os dois vereadores parecem querer transformar as Sessões plenárias em uma verdadeira e vergonhosa “pinicolândia”.

As 18:04 hs, subiu a tribuna o Presidente da Casa para comentar do movimento já realizado em época anterior, em pleno governo de Jarbas, líder do partido, onde ele se mantém deste o início de sua vida política. Em relação aos encaminhamentos de projetos, deixou claro que de acordo com o Regimento, com o colhimento de assinaturas suficientes à dispensa, não há porque não dispensar. Por fim fez homenagem ao recém falecido José Augusto Ferrer, pedindo voto de profundo pesar, contando de imediato com a subscrição de mais sete vereadores.

As 18:13 hs foi a tribuna o vereador Novo da Banca, se solidarizar ao Irmão Duda em relação ao seu movimento anti “presídio”, cedeu um aparte ao mesmo, que foi ao tablado da mesa, retrucar as críticas do vereador Geraldo Enfermeiro, que o mesmo precisa melhor se informar sobre determinados assuntos, ao invés de sair atirando a exmo, com discursos vazios, sem a mínima propriedade.

Logo após foi a vez de Frazão pedir aparte, buscando esclarecer que não se trata de instalação de um presídio, e sim, uma Casa de Passagens para crianças e adolescentes de 12 à 17 anos.
E em falando de Pacas, o vereador Novo da Banca falou das obras de construção de três paradas de ônibus naquela região, realizadas com recursos próprios. (mais uma vez mal assessorado, revela em tribuna, questões que nem de longe deveria deixar registrado nos anais da Câmara).
Falou também de um dos projetos que estão em votação, que beneficiará o Grupo Resgate.

Aí veio um novo aparte, desta vez de Geraldo Enfermeiro, exigindo o direito de ler antecipadamente os projetos antes da apresentação nas sessões (ato até onde se sabe, nunca praticado nos quatro anos de mandato do mesmo) aproveitando para abrir discussão de matérias que ainda vão para as Comissões, sob total permissão da presidência.
Falou ainda de questões sobre possíveis aliados do governo Elias Lira, que ainda não foram empregados, em um caso específico falou que a pessoa podia falar com José Aglailson, que ele a empregaria na TV 58 ou na Rádio Cultural (ou seria Compesa, GRE ou Hospital João Murilo?)

As 18:27 hs subiu a tribuna o vereador André de Bau, fazendo comentários sobre a questão do Presídio, neste momento e pela segunda vez consecutiva, o vereador José Aglailson deixa a Casa legislativa, antes das votações, em total desrespeito ao plenário.
André relatou que deve haver mais responsabilidade quanto a discussão da questão de Pacas. Que não trata-se apenas a vinda ou não, mais a abertura de discussão de um conjunto de ações que possam beneficiar a sociedade como um todo. Parabenizou o Irmão Duda pelo seu posicionamento, pois esta atitude leva ao enriquecimento do debate.

Comentou sobre a homenagem feita pelo presidente Mano Holanda, ao ex prefeito José Augusto. E encerrou partindo em defesa das ações do atual governo, dando impressão que pode ser o próximo líder, o que seria merecido, por alguns discursos bem mais equilibrados que a maioria de seus pares aliados.

O último a subir a tribuna foi Sylvio Gouveia, que solicitou do presidente, o envio de cópias dos projetos apresentados, tendo a interferência do mesmo, alegando que nunca e jamais vai negar tais documentos aos atuais vereadores, sejam eles quais forem.

As 18:34 hs deu-se inicio a Ordem do Dia, onde o presidente encaminhou os cinco projetos do Executivo as Comissões, colocando em votação os todos os requerimentos, que foram automaticamente aprovados.

As 18.35 hs, encerrou-se a Sessão a um custo total de R$ 1.270.000,00 nos quatro meses e dezenove dias de mandato decorrentes, com a próxima Sessão marcada para o dia 21 de maio, no horário regulamentar, 20:00 hs.

por Elias Martins,
Colunista do Blog.