Ceclin
fev 28, 2018 0 Comentário


Na Alepe, ao menos dez deputados podem mudar de partido por reeleição

Até o presidente da Alepe, Guilherme Uchoa, hoje no PDT, deve trocar de partido com janela partidária. Foto: Kerol Correia/Alepe

Até o presidente da Alepe, Guilherme Uchoa, hoje no PDT, deve trocar de partido com janela partidária. Foto: Kerol Correia/Alepe

Com chapinha, PP ameaça ultrapassar PSB e se tornar maior partido na Alepe

Jornal do Commercio

Na Assembleia Legislativa, a troca de partidos começou na terça-feira (27/02) com o anúncio de Álvaro Porto de que deixará o governista PSD para retornar ao oposicionista PTB. A filiação deve ocorrer em um grande ato festivo em Garanhuns, no Agreste.

JC apurou que ao menos outros nove parlamentares estudam mudar de legenda de olho em melhores condições para se reelegerem. A lista inclui o presidente da Casa, Guilherme Uchoa, que deve deixar o PDT junto com outros três parlamentares: Jadeval de Lima, João Eudes e Pedro Serafim Neto. Um aliado de Uchoa disse que no momento o presidente está inclinado a entrar no PR.

Pelo menos dois socialistas, Marcantônio Dourado e Vinícius Labanca, devem entrar em um turbinado PP. Roberta Arraes também estudou migrar para a sigla, embora na sua principal base, em Araripina, no Sertão, o PP esteja na oposição ao grupo dela. Hoje no PTC, Eriberto Medeiros também deve ir para o PP, mas para disputar um mandato de deputado federal.

PP pode fazer frente ao PSB
Mirando uma chapinha própria, o PP espera eleger entre 10 e 12 deputados estaduais, com perspectiva de fazer frente ao PSB como principal força na Alepe. Outra chapinha partirá do PSC, do pré-candidato ao Senado André Ferreira, que trabalha para eleger o ex-deputado Manoel Ferreira e outros dois nomes.

Já o chapão que contará com PSB, PR e PSD pode eleger entre 18 a 20 estaduais, com até 15 socialistas. Além de Álvaro Porto, Romário Dias também poderia deixar o PSD. Ao discursar ontem, ele elogiou o governador, mas se queixou da “escuridão” dos que deveriam ajudar Paulo Câmara. “Quem vive no escuro é vaga-lume. E eu não nasci para ser vaga-lume”, afirmou.