Ceclin
set 30, 2009 4 Comentários


Município retoma terreno da Gyotuku em uma Sessão improdutiva

Em Sessão Ordinária realizada na noite dessa terça-feira (29), a Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão foi palco de pouca produção. Com a ausência dos Vereadores Everaldo Arruda (PSDB) justificada em virtude da Missa de 7º dia celebrada em memória de seu pai (Aluisio Arruda) ocorrida no mesmo horário na Igreja do Rosário. Constatou-se a ausência do vereador Geraldo Enfermeiro (PSB) que foi justificada, bem como do Ver. José Aglaílson (PSB) que está de licença por um período de 45 dias solicitada pelo próprio.

A Sessão começou realmente após as 21:13 h. por conta da leitura da Ata da Sessão anterior ter sido lida pelo Ver. Pedro Queiroz (PPS) que já denotava pelo seu conteúdo nada relevante em termos de produção na Casa Diogo de Braga, que foi aprovada.

Dentre os projetos de lei apresentados para apreciação do plenário, existia o PL 034/09 que revoga outra Lei a qual havia determinada uma doação de terreno a empresa Gyotuku.
Do mais, só os já enfadonhos Requerimentos. Entre os quais, calçamento de ruas no bairro de Lagoa Redonda apresentado pelo Ver. Novo da Banca (PSB?). Outro solicitando calçamento e saneamento de rua no bairro do Jardim Ipiranga, apresentado pelo Ver. Frazão (PR), que solicitou ainda a construção de uma Parada de ônibus e a disponibilização de uma ambulância para o Engenho Una.

Apresentando pessoalmente os seus Requerimentos, o Vereador André de Bau (PMN) usou de seu tempo para defender a comunidade de Caiçara III, que segundo ele, necessita de uma linha de transporte público. Tendo em vista que a linha de ônibus Vitória/Pirituba não entra na comunidade e a parada mais próxima fica distante. Sugeriu que a Prefeitura envie um Projeto de Lei criando uma linha específica para a comunidade, aproveitando para criticar o proprietário que usa a concessão pública desta linha.
Solicitou também a iluminação pública para o Loteamento de Bau que favorecerá na segurança naquela comunidade; ainda a construção de um Grupo Escolar nos bairros de Bau e do Irã, salientando a necessidade de atender ao público infanto juvenil, propondo que o período noturno seja utilizado para cursos profissionalizantes direcionados aos jovens e adultos. André de Bau lembrou que já doou os terrenos nestas duas localidades.

Quem aproveitou para “esquentar” a Sessão foi o Vereador Novo da Banca, o qual não poupou severas críticas à gestão do seu colega de partido, Geraldo Enfermeiro, quando este era Presidente da Casa durante os oito anos da gestão do PSB. “Este vereador não tinha respeito por ninguém quando era presidente. Não existia respeito nesta Casa, nem para mim e nem para os colegas vereadores. Não satisfeito em fazer o mal, tentou me colocar contra o André de Bau para brigarmos”, destilou Novo. O parlamentar também citou que o ex-vereador Décio Filho chegou a ser insultado por Geraldo Enfermeiro.
Na oportunidade, reforçou o Projeto de Lei que vai beneficiar a AMACS (Associação Municipal dos Agentes Comunitários de Saúde) a fim de que esta entidade possa continuar tendo o contrato de comodato em prédio localizado na Rua Primitivo de Miranda – Centro da cidade, estendido também para o S.O.S. Criança. Neste momento o plenário da Câmara contava com a presença de dezenas de Agentes de Saúde.

Logo após, o Vereador Pedro Queiroz solicitou que a Casa se solidarizasse com um vitoriense, que foi Superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e foi demitido em razão deste ter criado uma nova forma de gestão na Polícia, segundo ele.
Aproveitou para parabenizar a Usina Petribu, de Lagoa de Itaenga, por completar nessa terça-feira 100 anos de fundação, propondo um Voto de Aplauso. Estendeu também este requerimento ao Consulado Alemão no Brasil, por votos de pleno êxito a gestão reeleita da sua Primeira Ministra. Contando suas viagens pelo mundo, a exemplo de sua passagem pela Alemanha, França e Estados Unidos que segundo o mesmo o ajudaram em seu acúmulo de conhecimento.
Para Pedro Queiroz, o presidente Mano Holanda (PMDB) agiu corretamente quando exonerou os três funcionários comissionados alocados no gabinete do Vereador Sylvio Gouveia (PSB), o qual é seu inimigo pessoal. Já Sylvio Gouveia acusa Mano Holanda de retaliação em virtude de este ter solicitado a prestação de contas da sua atual gestão.
Para não perder os seus tiros giratórios, Queiroz criticou a gestão passada, citando fatos ocorridos e a omissão dos vereadores diante dos acontecimentos da gestão anterior. Lembrou da desocupação das casas do Loteamento Conceição coordenado pela CEHAB e acusou Aglaílson de ter incitado o povo a invadir. Em aparte, o presidente Mano Holanda agradeceu o apoio dado por Pedro Queiroz.

O Parecer 028/09 da Comissão de Redação e Justiça autoriza o termo de comodato do prédio público a AMACS, para o período de 02 (dois) anos. Aprovado o Parecer, bem como o Projeto de Lei 033/09 referente à concessão do prédio.
Quanto a revogação da Lei do terreno da Gyotucu, o parecer 029/09 atestou que o espaço doado pela Prefeitura local para a instalação desta empresa em Vitória não foi usado em tempo legal, de modo que este terreno volta para a posse do Município.

Encerrando a presente Sessão às 22:10 h., o Presidente da Câmara convocou duas para a próxima semana. A primeira será no dia 06 para uma Sessão Solene em homenagem ao personagem histórico local – Melo Verçosa; e a outra no dia 08 será Ordinária.

Por Gilberto Júnior,
Enviado especial.