Ceclin
fev 15, 2016 0 Comentário


MST em Gravatá aprova o reordenamento da rede escolar

MST - Pref. Gravatá

A Coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) de Gravatá, no Agreste, aprovou o reordenamento da rede municipal de ensino proposto pela Prefeitura do município. A medida vai beneficiar 235 estudantes da zona rural, que passarão a ter escolas de melhor qualidade e não precisarão assistir aulas em turmas multisseriadas – onde alunos de anos diferentes estudam na mesma sala.

O apoio foi ratificado em reunião entre os coordenadores do MST, Rinaldo Barbosa de Lima e Erivaldo Ferreira de Lira, o Grandão, com os secretários Maria Ângela Andrade (Educação) e Arthur Cunha (Governo, Comunicação e Imprensa).

Depois de concordar com o reordenamento da rede nos distritos de Avencas, Mandacaru e Russinhas, a coordenação do MST solicitou a mesma ação para os assentamentos de Várzea Grande, Perseverança e Palmeiras, todos localizados na zona rural de Gravatá. A solicitação foi atendida pelos gestores municipais. “Estamos felizes pelo apoio do MST. A ação é importante para que os estudantes tenham um ganho pedagógico no seu aprendizado, uma vez que eles estarão matriculados por idade em turmas seriadas e não multisseriadas”, argumentou Maria Ângela Andrade.

“Depois que fomos esclarecidos sobre a importância do reordenamento, aprovamos a iniciativa da Secretaria de Educação e solicitamos que o mesmo fosse feito nas nossas escolas. Agora, acreditamos que, se os nossos alunos estudarem em salas de aula, matriculados por idade, eles terão uma maior qualidade no aprendizado”, pontuou Rinaldo Barbosa de Lima.

A secretária de Educação esteve nos assentamentos e explicou a importância do reordenamento nas Escola Municipal Santa Maria Gorete, Escola Municipal Padre Machado e Escola Municipal Rosa Mística.

com informações da Assessoria