• Ceclin
mai 18, 2012 0 Comentário


MPPE decide hoje sobre pedido de proibição da Marcha da Maconha

Diário de Pernambuco

O impasse sobre a realização da Marcha da Maconha, prevista para o próximo domingo, no Recife, deve acabar hoje. Até as 12h30, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) vai decidir se pedirá a proibição do ato na Justiça. O MPPE vai analisar uma representação enviada pela Frente Parlamentar em Defesa da Família, da Assembleia Legislativa de Pernambuco. No documento, o grupo de deputados estaduais definiu o ato como inconstitucional e pediu a proibição da marcha, marcada para acontecer na Rua da Moeda, Bairro do Recife, às 14h. O protesto a favor da descriminalização da droga vem sendo realizado desde 2008. Em 2011, um pedido semelhante foi feito pelos deputados, mas o MPPE não chegou a pedir a proibição do movimento.

Segundo o deputado estadual Adalto Santos (PSB), quatro parlamentares encabeçam o pedido. O documento foi enviado ao MPPE no último dia 7. “Entramos com a representação duas semanas antes da realização do evento, pois no ano passado, por termos enviado quatro dias antes, o pedido não foi aceito”, explicou. A frente parlamentar, liderada pelo deputado Cleiton Collins (PSC), argumenta que a realização da marcha iria de encontro ao programa de combate às drogas do governo federal.

Ao contrário dos anos anteriores, a frente parlamentar decidiu pela não realização da Marcha da Família, evento paralelo à Marcha da Maconha. “Não queremos que a população pense que estamos entrando em rivalidade. Vamos deixar a realização do evento para outro momento. O que queremos é coerência”, disse o deputado.